Ceará recebe o colorido do kitesurfe

Praia de Cumbuco recebe 11º Kite Tour a partir desta quinta-feira

Paulo Favero, Jornal da Tarde

11 de agosto de 2011 | 15h02

SÃO PAULO - A praia de Cumbuco, no Ceará, recebe a partir desta quinta-feira as principais feras do kitesurfe, um esporte aquático que consiste em uma combinação de pipa e prancha na qual o atleta é puxado pela força do vento. As condições climáticas desta praia do Nordeste, palco da disputa da primeira etapa do Volkswagen Kite Tour 2011, não poderiam ser melhores: clima quente, boas ondas e ventos constantes. "A previsão está perfeita. Esse ano é sem dúvida o melhor de todos. A estrutura é diferenciada e provavelmente teremos recorde de inscritos. Até faltou vaga", revela Américo Pinheiro Júnior, presidente da Associação Brasileira de Kitesurf.

No próprio local, os moradores estão acostumados a ver as pipas coloridas despontando nos céus e levantando atletas em lindos saltos acrobáticos. Serão três as modalidades de disputa: Wave, Freestyle e Regata, tanto no masculino quanto no feminino. "Neste ano, pela primeira vez, estamos iniciando com a categoria Infantil (abaixo de 15 anos), Freestyle e Master (acima de 40 anos)", afirma Américo.

Como forma de popularizar o esporte, a Associação Brasileira de Kitesurf vai visitar algumas escolas no local e sortear vagas em uma clínica para estudantes que nunca tiveram contato com o esporte, numa parceria com a Secretaria de Esportes de Caucaia. Eles terão contato com noções básicas do kitesurfe, aulas de técnica e segurança, além de poder manusear os equipamentos.

Esta etapa Kite Tour 2011 terá a participação dos principais nomes da modalidade no País. Um deles é Guilly Brandão, tricampeão mundial da categoria wave e considerado uma lenda do esporte. Carol Freitas, pentacampeã brasileira, tentará o na categoria Freestyle. Já a paraibana Nayara Licarião briga pelo tetra nacional. Ela está motivada pela conquista do terceiro lugar na etapa alemã do Mundial da Associação dos Kitesurfistas Profissionais. E os locais Carlos Madson e Evandro Silva terão o apoio da torcida cearense e têm tudo para fazer um bom campeonato.

Após esta primeira etapa no Ceará, o campeonato passará por mais quatro estados nos próximos meses - Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro. No total são R$ 120 mil em prêmios. "Queremos popularizar o esporte no Brasil", conclui o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.