Cerimônia da Fifa vai perder impacto

Evento de amanhã deve confirmar o vazamento da informação das 12 cidades-sede escolhidas

, O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2009 | 00h00

O nome das 12 cidades-sede para a Copa do Mundo de 2014 serão conhecidos amanhã, em solenidade da Fifa, em Nassau, capital das Bahamas, no Caribe. Oito delas já tinham presença garantida: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Salvador e Recife. Nove outras disputavam as quatro vagas restantes. Ontem, o jornalista Ancelmo Gois divulgou, em seu blog, que Cuiabá, Manaus, Natal e Fortaleza foram as eleitas pelos inspetores da Fifa que estiveram no Brasil este ano fazendo a vistoria nos municípios candidatos. Teriam ficado fora Rio Branco, Belém, Campo Grande, Goiânia e Florianópolis.Conforme o Estado publicou em sua edição de ontem, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai organizar eventos nas cidades derrotadas como prêmios de consolação. Estão programados amistosos da seleção, festas e até hospedagem de selecionados estrangeiros. Apesar de o anúncio oficial ser somente amanhã, internamente a mobilização política já teve início. Depois de reivindicar para Belo Horizonte a partida de abertura do Mundial, o governador Aécio Neves (PSDB) anunciou planos mais ambiciosos e pleiteia agora que a capital mineira seja a sede dos jogos do Brasil na primeira fase. Aécio disse que em breve pretende levar uma proposta ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. "Belo Horizonte é uma cidade mais tranquila do que as outras grandes capitais, que certamente postularão esse privilégio", observou Aécio no final da tarde de anteontem, após um encontro com o prefeito da capital, Márcio Lacerda (PSB). O governador acredita que em Belo Horizonte seja possível "preservar" a seleção de assédio na etapa de classificação da Copa. "Acho que BH poderia pleitear tranquilamente ser a sede dos jogos no Brasil na primeira fase", afirmou, lembrando que Teixeira é mineiro. Aécio já demonstrou que possui bom relacionamento com o presidente da CBF ao levar para o Mineirão os jogos entre Brasil e Argentina pelas Eliminatórias no ano passado e em 2004. Nas duas ocasiões, o governador não poupou esforços para que a capital mineira recebesse o maior clássico da América do Sul.A estratégia de Aécio é ampliar o leque de oportunidades para que a cidade tenha destaque no Mundial. Ele também já especulou a capital para um dos jogos semifinais. Pré-candidato à Presidência da República, o governador foi questionado anteontem sobre onde - no sentido de em qual cargo - gostaria de estar em 2014 e respondeu de pronto: "No Mineirão, assistindo à abertura (da Copa)".Os políticos mineiros nem cogitam a possibilidade de Belo Horizonte não ser selecionada como sede e prepararam uma grande festa na Praça da Pampulha para o anúncio da Fifa, com direito a shows gratuitos e um telão que mostrará ao vivo a transmissão da cerimônia, em Nassau, nas Bahamas.O cronograma de ações prevê que o Mineirão seja fechado no final deste ano para reformas, após o último jogo pelo Campeonato Brasileiro. "A partir daí, teremos dois anos com o Mineirão em obras, para que ele possa ser apresentado antes do período da Copa das Confederações", destacou o confiante e falante, Aécio Neves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.