Cesar Cielo bate Michael Phelps e fecha GP de Michigan com dois ouros

Brasileiro Nicholas Santos ficou com o bronze, enquanto Nicolas Oliveira terminou em quinto

AE, Agência Estado

10 de abril de 2011 | 21h41

Na final que envolveu Cesar Cielo e Michael Phelps, dois maiores nadadores da atualidade, o brasileiro levou a melhor neste domingo ao vencer a prova dos 100 metros livre do GP de Michigan, nos Estados Unidos. Ele cravou o tempo de 49s12, contra 49s48 do norte-americano. O brasileiro Nicholas Santos, com 50s10, ficou com a medalha de bronze, enquanto o seu compatriota Nicolas Oliveira terminou em quinto ao marcar 50s29.

Cielo fecha a competição com duas medalhas de ouro, pois no sábado já havia vencido a prova dos 50 metros livre. Recordista mundial dos 50 e dos 100 metros livre, o campeão olímpico e mundial festejou o seu triunfo diante de Phelps e destacou que precisou se esforçar muito para superar o rival. "O Phelps tem o melhor final de prova do mundo e te obriga a chegar ao limite. É duro ser rápido quando ainda estou trabalhando tão duro, mas fiz o que devia fazer. Certamente ainda tem muito para melhorar, mas estou feliz com os resultados", afirmou Cielo.

Cielo nadou na raia 4 e levou vantagem sobre Phelps na primeira metade da prova. Já nos últimos metros ele ainda enfrentou grande pressão do norte-americano, que estava ao seu lado, na raia 3, mas conseguiu se manter à frente. Foi a segunda vez que Cielo enfrentou - e venceu - Phelps em uma final. Antes, ele havia encarado com sucesso o supercampeão no GP de Ohio, em 2008, também nos Estados Unidos.

Com o novo ouro de Cielo, o Brasil terminou o GP de Michigan com 12 medalhas (3 ouros, 3 pratas e 6 bronzes). O outro ouro do País na competição foi obtido por Felipe França na final dos 100 metros peito, prova que teve um pódio totalmente nacional, com João Gomes Junior e Felipe Lima em segundo e terceiro lugares na última sexta-feira.

Cielo usou a competição em Michigan como preparação para o principal objetivo da temporada, que é o Mundial de Xangai, na China, entre 24 e 31 de julho. "Estou feliz por ter competido em Michigan, foi um bom fim de semana. Ainda senti dor (cansaço) e sei que tenho muito para melhorar", reforçou.

Alberto Silva, técnico de Cielo, classificou como "ótimo" o desempenho do seu pupilo em Michigan, lembrando que o nadador está em processo de evolução na temporada. "Cielo está começando a ficar bem competitivo. Não sabemos como está a preparação dos outros nadadores em todo o mundo, muito tinham seletivas nacionais, estão mais rápidos. Cielo ainda está pesado, começando a entrar em ritmo de competição", destacou o treinador, para depois lembrar da importância de se bater Phelps nos Estados Unidos.

"Não é fácil nadar contra o Phelps, ainda mais nos Estados Unidos. A própria USA Swimming (entidade que controla a natação dos Estados Unidos) anunciou o duelo do maior nadador do mundo contra o maior velocista do mundo. Psicologicamente, para o Cesar, ganhar e com um tempo dentro daquilo que esperávamos, com o Phelps na raia ao lado, foi muito bom", completou.

Outro brasileiro que se destacou neste domingo foi Bruno Fratus. Ele brilhou na final B dos 100 metros livre ao cravar 49s84, ganhando a disputa. Com essa marca, ele teria levado o bronze na final A da prova. O medalhista olímpico Jason Lezak, por exemplo, foi batido por Fratus na final B, ficando com a terceira colocação ao cravar 50s44.

Também neste domingo, Phelps foi derrotado em outra final, a dos 200 metros medley, vencida pelo tunisiano Ous Mellouli, que cravou o tempo de 1min59s42, superando o astro da casa, que marcou 1min59s63.

Em outra disputa deste domingo, o norte-americano Scott Clary venceu os 200 metros costas ao cravar 1min56s61, o segundo melhor tempo do ano nesta prova. Com isso, ele superou com folga o seu compatriota Ryan Lochte, que marcou 2min00s21. Dois brasileiros disputaram esta final, com Leonardo Fim ficando na quarta posição e Fabio Santi em oitavo e último.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.