Rodrigo Schmidt/Divulgação
Rodrigo Schmidt/Divulgação

César Cielo cria equipe de natação e confirma retorno ao Brasil

Ele e outros seis atletas vão trabalhar juntos no Projeto Rumo ao Ouro em 2016

AE, Agência Estado

15 de fevereiro de 2011 | 16h12

SÃO PAULO - O nadador César Cielo, campeão olímpico dos 50 metros livre, está de volta ao Brasil. Nesta terça-feira, ele anunciou que treinará no País, no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, no Ibirapuera, em São Paulo. Ele e outros seis atletas vão trabalhar juntos, em um projeto criado por Cielo, que se chama Projeto Rumo ao Ouro em 2016. Assim, ele confirma a decisão de deixar Auburn, nos Estados Unidos, onde treinava com o técnico australiano Brett Hawke.

Cielo será treinado por Alberto Silva, que deixou o Pinheiros recentemente e já trabalhou com o campeão olímpico e mundial, inclusive na preparação para o Mundial de Natação em Piscina Curta (25 metros), em Dubai, disputado no final de 2010. Além de Cielo, André Schultz, Henrique Rodrigues, Leonardo de Deus, Nicholas dos Santos, Tales Cerdeira e Vinicius Waked vão fazer parte da equipe de Cielo.

"Queria montar um projeto que poderia trazer os atletas de fora", afirmou. "É um repatriamento de atletas que estavam fora. Fomos praticamente juntos para os Estados Unidos, no máximo com um ou dois anos de diferença e tínhamos ideias parecidas. Queríamos voltar. Tenho uma facilidade muito maior aqui de conseguir as coisas que preciso", completou.

Cielo revelou que os bons resultados obtidos no Mundial de Dubai, quando foi campeão dos 50 e 100 metros livre e bronze nos revezamentos 4 x 100 metros livre e 4 x 100 metros medley, lhe consolidou o plano de deixar Auburn. "O resultado de Dubai finalizou a minha ideia de retornar ao Brasil", comentou. "Volta com muita confiança que esta é a melhor opção para 2012."

Ele mostrou confiança de que o projeto dará certo e levará a natação brasileira a conquistar várias medalhas nos Jogos Olímpicos de 2012 e 2016. "Tenho certeza que será um grande projeto. É o início de um profissionalismo maior, de atletas com uma nova cara. Espero que a natação seja cada vez mais profissional no Brasil. Acima de tudo, vamos buscar medalhas de ouro", explicou.

Cielo acredita que o trabalho em grupo dará certo pois os atletas vão se motivar ao treinar juntos. "O ambiente que a gente cria, ter um cara bom treinando ao seu lado é importante. Eu vejo que no meu treino é assim, todos querem ganhar de mim. E isso é muito bom. Seria difícil criar um grupo com atletas de tanta capacidade. O atleta bem treinado e confiante dá resultado. A ideia é a gente ter esse grupo de treinamento para conseguir isso."

O nadador revelou ter descoberto a piscina no Ibirapuera por sorte, durante a gravação de um comercial. "A piscina foi uma surpresa. Fui fazer um comercial, e vi que era a melhor do Brasil. Teremos acesso nos horários necessários para montar o melhor planejamento possível", afirmou.

De acordo com Cielo, o grupo poderá ser ampliado no futuro para a inclusão de nadadoras. "A ideia era montar um grupo masculino. É um molde que trago dos Estados Unidos. Todos estão se comprometendo e dentro dos critérios. Quando o grupo aumentar, o que tenho certeza que acontecerá, poderemos escolher algumas meninas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.