Chapada Diamantina recebe a Ecomotion/Pro

Você faria qualquer coisa para ganhar US$ 10 mil, quase R$ 30 mil? E se o desafio fosse apenas ter de andar de bicicleta, de canoa, caminhar e, de quebra, conhecer as belas paisagens do interior baiano. Nove equipes estrangeiras e 34 nacionais disputam a partir deste domingo, na Chapada Diamantina, a Ecomotion/Pro em busca deste prêmio. Quem se arrependeu de não ter se inscrito, vai aí uma compensação: o percurso da prova é de 460 quilômetros, atravessando montanhas, rios e matas fechadas, por sete dias e seis noites seguidas. Pensando bem, é mais fácil ganhar na loteria.A Chapada Diamantina, famosa pelas minas de diamante, por suas cachoeiras e por ter sido, na década de 90, cenário da abertura da novela Tieta, da TV Globo, agora recebe as melhores equipes de corrida de aventura do mundo na terceira edição da Ecomotion, principal prova do gênero no País. Os 172 competidores (são quatro por equipe) largam neste domingo e têm chegada prevista para o próximo domingo, dia 29.Para vencer a prova, a equipe - composta por quatro atletas, entre os quais, pelo menos uma mulher - tem de chegar completa ao final do percurso. Em cada competição de corrida de aventura, estipulam-se dias antes da largada as modalidades que deverão ser seguidas. Na Ecomotion deste ano, são as seguintes: orientação por cartas topográficas, trekking, corrida cross-country, mountain bike, canoagem com caiaques infláveis, ride n´run (um competidor a cavalo e dois correndo) e técnicas verticais de rappel, ascensão por cordas fixas e tirolesa. A Agência Estado acompanhará de perto toda a disputa.Campeã da etapa classificatória, na Serra do Cipó, em Minas Gerais, o quarteto Brasil Telecom Oskalunga é uma das favoritas ao título."Estamos bem em todas as modalidades, mas nossos pontos fortes são o mountain bike, o trekking e a canoagem" diz o capitão da equipe, Monclair Cammarota. Suas principais adversárias são as brasileiras Atenah, Lontra e Mamelucos, além das estrangeiras Endurance.com, do Canadá, e Team AXN, da Argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.