AFP
AFP

Chefe da Federação Russa de Atletismo se demite após calote na World Athletics

Yevgeny Yurchenko, que foi criticado por vários atletas russos por não pagar a multa, durou menos de seis meses no cargo

Redação, Estadao Conteudo

13 de julho de 2020 | 16h36

O presidente da Federação Russa de Atletismo (ARAF, na sigla em russo), Yevgeny Yurchenko, anunciou nesta segunda-feira a sua demissão do cargo após a entidade ter dado um calote no pagamento da multa aplicada pela World Athletics, órgão que comanda a modalidade, na sequência de um escândalo de doping.

O prazo para fazer o pagamento venceu no último dia 1.º e Yurchenko admitiu na ocasião que, devido à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, não tinha como pagar os 4,5 milhões de euros (R$ 27,4 milhões) à World Athletics. "Hoje (segunda-feira) anuncio a minha demissão como presidente e assim se lança o procedimento para a eleição de um novo chefe administrativo da entidade", explicou o dirigente em um comunicado oficial.

Na última quinta-feira, a World Athletics anunciou a suspensão temporária do programa de integração de atletas russos que têm competido sob bandeira neutra em eventos internacionais, depois de a Rússia ter falhado o prazo de pagamento da multa.

Esta multa, no valor total de nove milhões de euros (R$ 54,6 milhões) - metade dos quais suspensos -, foi imposta pelo fato de a federação russa ter apresentado, em 2017, documentos falsos como álibi para o atleta Danil Lysenko, que não realizou um exame antidoping.

Em março, a World Athletics limitou a 10 o número de atletas que a Rússia poderia apresentar em Jogos Olímpicos, em Mundiais e Europeus e impôs como condição o pagamento de 4,5 milhões de euros antes de 1.º de julho.

Yurchenko, que foi criticado por vários atletas russos por não pagar a multa, durou menos de seis meses no cargo, com todo o esporte russo envolvido em um grande escândalo de doping, que "suspendeu" o atletismo da Rússia a nível internacional desde 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.