Cheruiyot quer vencer Maratona de Boston

O bicampeão da 80.ª Corrida Internacional de São Silvestre, Robert Cheruiyot, acha que a vitória em São Paulo, na virada do ano, é sinal de sorte para a temporada de 2005, em que seu principal objetivo é vencer a Maratona de Boston, a mais antiga do mundo, dia 18 de abril. Em 2003, Cheruiyot ganhou os 42 km e 195 m da prova norte-americana, em 2004 abandonou e agora quer reconquistar o título, após o bicampeonato da São Silvestre. Cheruiyt quer ser rápido na maratona, quer inclusive ser o recordista do mundo, condição ocupada pelo também queniano Paul Tegart, pentacampeão da São Silvestre. Tergat detém o recorde da maratona, com 2h04min55. Cheruiyot, que vive na cidade de Eldoret, chegou a treinar juntamente com Paul Tergat, em Nairobi, entre 2001 e 2002. Mas não aceita comparações com o famoso compatriota. "Ele é o melhor que ele pode e faço o melhor que eu posso." De São Paulo, Cheruiyot seguiu para tentar o seu quarto título na prova de São Fernando, no próximo fim de semana, no Uruguai. Poderá competir em algumas provas de cross country antes da maratona, mas sem afastar o seu objetivo de Boston. A queniana Lydia Cheromei, campeã entre as mulheres, também correrá a uruguaia San Fernando e já traçou sua prioridade para 2005, que é integrar a equipe de seu país no Mundial de Cross Country, em St Etienne - St Galmier, na França, em março. A dobradinha queniana no pódio da São Silvestre esteve hoje recebendo o cheque (de R$ 21 mil, cada um), na cerimônia de premiação da prova, realizada no prédio da Fundação Casper Líbero, em São Paulo. Os quenianos têm agora na São Silvestre 14 vitórias, contra 12 dos brasileiros, desde 1925 (fase internacional). O ministro de Esportes, Agnelo Queiróz, que acabou correndo com os anônimos, fez a São Silvestre em 1h37min, ficando com a posição de número 7.207. O recordista mundial da corrida de 24 horas em esteira, Luciano Prado, fez os 15 quilômetros da São Silvestre - uma prova curta e muito rápida para quem corre 24 horas - em 1h01min25, ficando com a 645.ª colocação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.