Cheruyiot ganha São Silvestre pela 2ª vez

Deu Quênia, com folga. Robert Cheruyiot, queniano de 25 anos, completou os 15 quilômetros da 80ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, na tarde desta sexta-feira, cruzando a linha na Avenida Paulista com 44min42s. Venceu a prova, com facilidade, pela segunda vez - a primeira foi em 2002. A segunda posição - e a grande surpresa da tradicional corrida paulistana - ficou com o etíope naturalizado australiano Sisay Bezabeh, que completou o percurso em 45min05s. Clodoaldo Gomes da Silva, corredor de Santo André, foi o melhor brasileiro sexta-feira: terminou em quinto lugar, depois do décimo no ano passado, agradecendo a Deus e garantindo o último lugar do pódio com uma arrancada conseguida nos quilômetros finais.Robert Cheruyiot, quarto colocado no ano passado, com o bicampeonato da São Silvestre, torna-se o discípulo de Paul Tergat. O queniano pentacampeão (em 1995, 96, 98, 99 e 2000) apostou em Cheruyiot depois que encerrou sua última participação, na Paulista, para se dedicar às maratonas, com 42,195 quilômetros (com 35 anos, agora em 2004 Tergat estreou na São Silvestre Vallecana, na Espanha, e foi vice-campeão nesta sexta-feira, atrás do australiano Craig Mottram).Depois do início atrasado, enquanto os organizadores procuravam pelo ministro dos Esportes, Agnelo Queiróz, para colocá-lo no pelotão de elite, a largada mostrou, como todo ano, os fantasiados em meio aos corredores mais sérios, representando cidades de várias partes do País.A vitória de Cheruyiot já ficou clara no 12º quilômetro. Antes disso, o queniano vinha correndo junto com o pelotão de seis atletas que liderou a prova desde o quarto quilômetro, quando ultrapassou o "coelho" Roberto Rodrigues de Oliveira ainda no Elevado Costa e Silva, o Minhocão.Além de Cheruyiot e do australiano Bezabeh, o grupo tinha outros três quenianos - Stephen Biwott, Benson Barus e Lawrence Kiprotich -, mais o paranaense Rômulo Wagner da Silva, apontado como o brasileiro com mais chance de vitória desta sexta-feira. Na Avenida Rudge, perto da marca de nove quilômetros, Rômulo não agüentou o ritmo imposto pelos quenianos e ficou para trás. Pouco depois, Lawrence também perdeu terreno. Os outros quatro se mantiveram nas primeiras posições até o fim.Reta final - No Viaduto do Chá, marca do início dos últimos três quilômetros - que tradicionalmente decidem a São Silvestre, com a subida da Brigadeiro -, Cheruyiot disparou. Apenas Bezabeh tentou acompanhá-lo, chegando em segundo. Os outros dois quenianos chegaram em terceiro e quarto lugares, ficando o brasileiro Clodoaldo com o quinto, no tempo de 45min41s, depois de resistir ao colombiano Diego Colorado, sexto, um segundo atrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.