Chicão está fora e Paulo André volta após mais de três meses

Capitão corintiano sente edema na coxa e seu substituto imediato, Wallace, também não tem condições de jogo

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2011 | 00h00

A temporada de 2011 não engrena para o zagueiro Chicão. O capitão corintiano vem sofrendo para ter uma boa sequência, ora por lesão, ora por contusão. Amanhã, diante do Avaí, em Florianópolis, o camisa 3 desfalca a equipe pelo 10.º jogo no ano - será o 37.º do líder do Brasileiro. Ou seja, perde um de cada quatro.

O problema, agora, é um edema na coxa direita. Ele não pega o Avaí e corre o risco, ainda, de não enfrentar o América-MG, quarta-feira, no Pacaembu - será reavaliado na segunda-feira.

A lesão é a mesma que o tirou de cinco jogos seguidos no Campeonato Paulista, o que sugere uma preocupação grande ao técnico Tite. Para piorar, seu substituto imediato, Wallace, também está fora da partida, por causa de fortes dores de cabeça.

Será o terceiro jogo de ausência de Chicão no Nacional. Ele cumpriu suspensão diante do Fluminense e não encarou o Vasco por causa de uma amigdalite. Sem ele, Wallace deu conta do recado e a equipe venceu.

Agora, sobrou para Paulo André, que não joga desde 17 de abril, na última rodada da 1.ª fase do Estadual. Ele formará dupla com Leandro Castán. "A bola é imprevisível. Em 12 horas perdi dois zagueiros", lamentou Tite. "Ainda bem que o Paulo é ambidestro. E estou bem tranquilo com a condição física dele, que vinha treinando forte", avaliou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.