Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

China encerra Paraolimpíada com festa e marca histórica

A China promoveu uma grande festa nesta quarta-feira, no Ninho de Pássaro, para encerrar a maior edição da história dos Jogos Paraolímpicos. Mais de 4.200 atletas de 148 países competiram ao longo de 11 dias em 20 modalidades. Dono da festa, o país anfitrião mostrou ao mundo sua impressionante evolução no esporte. Além de ter superado os Estados Unidos na Olimpíada, os chineses não deram qualquer chance aos rivais na Paraolimpíada e terminaram com a impressionante marca de 211 medalhas.O desempenho dos chineses, apesar de avassalador, não é o recorde na história dos Jogos Paraolímpicos. Os Estados Unidos já conquistaram mais medalhas nas edições de 1984 (396 pódios) e em 1988 (273). Para se ter uma idéia da superioridade chinesa, a soma das medalhas do segundo e terceiro colocados, Grã Bretanha (102 pódios) e Estados Unidos (99 pódios), respectivamente, não é suficiente para igualar os o país-sede no quadro.Na organização da Olimpíada e da Paraolimpíada, a China não investiu somente na construção de grandes obras como o Cubo D''Água e o Ninho de Pássaro. Os chineses montaram um verdadeiro centro de formação de campeões para brilhar em casa.A evolução chinesa na Paraolimpíada pôde ser acompanhada ao longo das últimas edições. Em 1996, nos Jogos de Atlanta (EUA), a China ocupou o nono lugar do quadro de medalhas com 39 pódios no total. Quatro anos depois, em Sydney (AUS), eles já eram sextos, com 73.Em Sydney, aliás, começou a derrocada dos Estados Unidos. Acostumados com a soberania na Paraolimpíada, os norte-americanos perderam a liderança para a Austrália depois de 20 anos no topo. Em 2004, em Atenas, quando todos esperavam uma recuperação norte-americana, a China deu mostras do que apresentaria em 2008, quando liderou o quadro de medalhas pela primeira vez na história, com 141 pódios. O rendimento dos chineses em casa foi melhor do que se esperava. O país obteve um crescimento de 49,5% em relação a Atenas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.