China investigará denúncia sobre mortes em estádio olímpico

Ao menos dez operários teriam morrido durante as obras; governo teria escondido o acontecido

REUTERS

22 de janeiro de 2008 | 11h48

A China investigará a denúncia de que foram acobertadas as mortes de ao menos dez operários durante a construção do principal estádio das Olimpíadas de Pequim, afirmou na terça-feira um ministro do governo. O comitê organizador do evento (Bocog) negou na segunda-feira a informação de que dez pessoas teriam morrido no Estádio Nacional. Mas Li Yizhong, ministro da Administração Estadual para a Segurança no Trabalho, disse não ter sido comunicado a respeito da questão. "Esta é a primeira vez que tenho notícia de tais problemas", afirmou durante uma entrevista coletiva concedida na terça-feira. "Darei ordens a fim de que a Administração para a Segurança no Trabalho de Pequim investigue a questão. Se houve atitudes do tipo [i], então os responsáveis serão punidos com severidade." Sun Weide, o porta-voz do Bocog segundo o qual a denúncia feita pelo jornal britânico Sunday Times era "mentirosa", mandou que as perguntas sobre as supostas mortes fossem encaminhadas à Agência de Construção 2008. Ninguém da agência quis se manifestar a respeito do assunto. A construção do estádio de 91 mil lugares, apelidado de Ninho de Pássaro, começou em 2003. O local foi o único dos 36 a serem usados durante as Olimpíadas que não estava pronto no final do ano passado. No estádio, cuja construção deve terminar no final de março, ocorrerão as cerimônias de abertura e de encerramento dos Jogos bem como competições de atletismo e de futebol. As Olimpíadas ocorrem entre os dias 8 e 24 de agosto de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.