China promete trânsito livre a jornalistas na Olimpíada

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim declarou nesta quarta-feira que os jornalistas com visto de entrada na China poderão transitar livremente pelo país. "Não vamos restringir viagens para a imprensa estrangeira. Se tiverem o visto, poderão ir a qualquer lugar", afirmou o chefe de imprensa do Comitê Organizador, Sun Weijia. Ele afirmou que o país deve alterar até o início do ano que vem a legislação atual, que restringe a movimentação de repórteres no país. Além disso, a China bloqueia o conteúdo de sites que considera ofensivos ao regime comunista - o que também não deve acontecer para os jornalistas. "O governo chinês vai honrar os compromissos feitos durante a candidatura", completou Sun, enfatizando que as normas seguirão as últimas edições dos Jogos e a necessidade da mídia. Segundo ele, o acesso dos jornalistas aos atletas chineses também será liberado, embora haja necessidade de agendamento prévio. Todo mundo fica O governo de Pequim afirmou que não tem a intenção de expulsar da cidade os migrantes que vieram das zonas rurais do país para trabalhar nas obras da Olimpíada - ao todo, cerca de 1 milhão de pessoas. "Essas informações não têm fundamento, os trabalhadores terão seus direitos respeitados. O governo municipal reconhece a contribuição de todos para a Olimpíada", disse o secretário de Justiça da cidade, Zhou Jidong.

Agencia Estado,

27 Setembro 2006 | 11h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.