Chinesa quebra tabu em Salt Lake

Yang Yang acabou com um tabu em seu país e conquistou ontem a primeira medalha de ouro da China em Jogos de Inverno na prova dos 500 metros da patinação de velocidade. Desde 1992, em Albertiville, o país, que em olimpíadas soma dez medalhas de prata e quatro de bronze, perseguia o primeiro lugar. O feito foi considerado tão importante na China que Yang Yang mereceu uma saudação especial do vice-primeiro-ministro chinês Li Lanqing. A medalha de ouro vem confirmar a boa fase do esporte chinês. No ano passado, Pequim ganhou a disputa para ser a sede dos Jogos Olímpicos de Verão, em 2008, e a seleção nacional de futebol classificou-se para a Copa do Mundo pela primeira vez. Yang Yang, que tem uma colega mais nova na delegação chinesa com nome exatamente igual, relembrou o esforço de seus antecessores. "A vitória foi um sonho para algumas gerações passadas, por isto estou realmente feliz com o fato de alcançarmos o ouro hoje (ontem)."Outra atração do dia foi o australiano Steve Bradbury, que ganhou a medalha de ouro na prova dos 1.000 metros da patinação de velocidade de forma totalmente inusitada. Com quatro patinadores à frente na última volta, Bradbury não tinha a menor chance de ganhar, porém foi beneficiado pelo choque dos líderes da disputa, o norte-americano Apolo Anton Ohno, e o chinês Li Jiajun, nos metros finais da corrida. Ambos caíram e acabaram atingindo também o sul-coreano Ahn Hyun-soo, que era o terceiro colocado, e o canadense Mathieu Turcotte. Arrastando-se na pista, Ohno ficou com a prata e Turcotte com o bronze.Com atraso: Com dez anos de atraso, o goleiro da seleção russa Nikolai Jabibulin recebeu sua medalha de ouro na competição de hóquei sobre o gelo. O atleta, que era o terceiro goleiro da equipe, foi o único a não receber o prêmio porque o técnico da época, Viktor Tijonov, ficou com a sua medalha. Veja a galeria

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.