Chinesas

A pivô Érika está fora dos Jogos. A jogadora se recuperava de fratura por estresse na perna, mas voltou a sentir dores num jogo pela WNBA, domingo, e ontem foi cortada. Grazi, que viajou com o grupo para a China, fica com a vaga.O técnico Juan Oliver definiu ontem os últimos cortes da seleção feminina de handebol. As armadores Fabiana Gripa e Silvia Helena estão fora da Olimpíada. Estudo mexicano aponta a conquista de 16 medalhas pelo país em Pequim. A previsão, feita pela chefia da delegação, é de que os mexicanos terão chances de subir no pódio em atletismo, boxe, canoagem, levantamento de peso, tae kwon do, tiro com arco, vela e saltos ornamentais. O estudo levou em conta os resultados do último ano.Cultura chinesa será ensinada para os atletas dos outros países que ficarão na Vila Olímpica. A ex-mesa-tenista Deng Yaping, diretora da Vila, disse que o lugar vai oferecer uma experiência cultural intensa. "Será um lugar onde os atletas poderão se divertir e também conhecer a cultura chinesa. Queremos proporcionar uma experiência total sobre nosso país." Estados Unidos e Espanha são os favoritos para a conquista do ouro no basquete masculino, segundo o argentino Manu Ginóbili, ala-armador do San Antonio Spurs. "Atualmente a Espanha é melhor que nós, eles nos venceram bem por duas vezes" destacou. A Argentina é a atual campeã olímpica e ontem fez 81 a 71 em amistoso com o Irã.Os hospitais chineses registraram ontem seu primeiro atendimento olímpico. Quem utilizou o serviço foi o repórter Eduardo Maluf, do Estado, com problemas estomacais. Ele passou por bateria de exames e uma virose foi diagnosticada. Na China, há 24 centros médicos habilitados para atender jornalistas, atletas e integrantes das delegações.Atiradores da Nova Zelândia estão dispostos a disputar os Jogos com máscaras para evitar contaminação por causa da poluição. Apesar de a modalidade requerer uma visão excepcional, o atirador Graeme Ede já está, inclusive, treinando com o rosto coberto. Duas pessoas foram detidas por divulgar rumores de atentados à bomba no país. Semana passada duas pessoas morreram em Kunming e 14 ficaram feridas na explosão de dois ônibus. O primeiro detido foi Wang Xuewen, preso em Yangzhou acusado de "inventar informação terrorista". O outro foi Yu Zhengde, trabalhador de Fuzhou, detido na segunda-feira por afirmar no sábado que havia uma bomba instalada em um ônibus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.