Chinesas

A Praça da Paz Celestial, ponto central em Pequim e muito conhecido pelo massacre de estudantes em 1989, vai estar com a segurança reforçada durante os Jogos. Para ter acesso ao local, os turistas vão ter que passar por um cordão de policiais e vão ser revistados. Além do temor de atentados, o governo chinês quer evitar atos políticos na praça.O estado de tensão em Pequim é tão grande que uma sacola de roupa suja abandonada perto da Cidade Proibida mobilizou ontem dezenas de policiais, desconfiados de que o volume escondia uma bomba. Uma rua movimentada chegou a ser interditada. Minutos depois, com a ameaça desfeita, o caso ficou sob responsabilidade da lavanderia mais próxima.Cambistas estão driblando as autoridades chinesas e inflacionando o preço dos bilhetes para as competições. A atividade ilegal é rechaçada pelo diretor do Centro de Vendas de Ingressos de Pequim, Zhu Yan. "Se uma pessoa quer transferir seu tiquete para outra não há problema, mas o que não é permitido é que seja revendido com fins lucrativos."A Arábia Saudita não levará nenhuma mulher para competir em Pequim, fato considerado normal pelo chefe da delegação, Rashed al-Heraiwel. Ele disse que ainda não é hora de discutir a presença feminina em atividades esportivas em seu país e deu uma declaração pouco clara sobre quando isso será possível. "Teremos atravessado a ponte quando lá chegarmos."Animadoras de público, conhecidas como cheerleaders (foto), participaram ontem com entusiasmo de ensaio na arena de Pequim onde serãos disputados jogos de vôlei de praia.A poucos dias da abertura dos Jogos, a China segue firme no propósito de não conceder visto de entrada no país de portadores do vírus HIV, apesar dos protestos de várias entidades de direitos humanos do mundo todo. No documento que deve ser preenchido para análise do visto, o estrangeiro tem de declarar se está ou não infectado com o HIV.A seleção brasileira de futebol feminino fez ontem seus últimos treinos em Umea, Suécia, antes de embarcar para Pequim. As meninas viajaram para Shenyang, onde estrearão contra as alemãs, dia 6, às 6 horas (de Brasília).Já as seleções de China e Estados Unidos empataram por 0 a 0 ontem, em amistoso na cidade de Qinhuangdao, uma das sedes da modalidade nos Jogos. A nota triste do jogo: a atacante chinesa Ma Xiaoxu sofreu lesão muscular, deixou o campo chorando, e deve ser cortada da Olimpíada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.