Chinesas 2

Natália Falavigna começa hoje, no tae kwon do, a luta para realizar o sonho que tem desde os 4 anos: ganhar uma medalha de ouro em Olimpíadas. Há quatro anos, em Atenas, a paranaense ficou com o quarto lugar. "A chave dela, desta vez, é melhor", analisa Carlos Negrão, chefe da equipe brasileira em Pequim. De estilo agressivo e chute forte, Natália compete na categoria até 67 quilos, e já venceu 11 torneios internacionais.A série de insucessos brasileiros nos Jogos fez surgir um novo fenômeno na internet nacional: sites e blogs que usam - e abusam - da ironia para comentar o desempenho verde-e-amarelo em Pequim. No www.fracasso.com.br, por exemplo, cada derrota é ridicularizada. Já a turma do Bronze Brasil (www.bronzebrasil2008.wordpress.com) comemora apenas as terceiras colocações nacionais. "É fácil ganhar o ouro. Para ganhar o bronze, porém, você tem de ter estratégia, perder na hora certa", argumenta um dos criadores do blog, Eduardo Menezes.Nos Estados Unidos, a comemoração pelo ouro no futebol feminino foi menor que a decepção com a seleção de softbol. Consideradas imbatíveis, as americanas perderam a final por 3 a 1 para o Japão e ficaram com a prata na disputa, que marcou a despedida do esporte dos Jogos. Foi a primeira vez que os Estados Unidos não conquistaram o ouro desde que a modalidade foi inserida na Olimpíada, em Atlanta-1996. Entre as japonesas, porém, a comemoração foi intensa.A Austrália ficou com a medalha de bronze. Sete anos atrás, o holandês Maarten van der Weijden foi desenganado pelos médicos. Com leucemia, ficou meses internado, passou por transplante de medula e muita quimioterapia. Anteontem, conquistou o ouro em uma das mais desgastantes competições olímpicas, a maratona aquática. "O que aconteceu faz a conquista ser superespecial", comemora o nadador, que concluiu a prova em 1h51min51s. O brasileiro Allan do Carmo chegou na 14.ª posição.No vôlei de praia, as norte-americanas Misty May-Treanor e Kerri Walsh confirmaram o favoritismo e conquistaram a medalha de ouro, com uma vitória de 2 sets a 0 (21/18 e 21/18) sobre as chinesas Wang Jie e Tian Jia. A vitória marcou o 108.º jogo de invencibilidade da dupla americana. Já as brasileiras Renata e Talita, derrotadas pela dupla campeã na semifinal, perderam a disputa do bronze para as chinesas Chen Xue e Xi Zhang, por 2 sets a 0 (21/19 e 21/17).Ao contrário do que previam os especialistas, preocupados com a grande renovação da equipe cubana de boxe, a supremacia do país no esporte está mantida. Cuba tem oito pugilistas com chances de conquistar medalhas de ouro em Pequim e pode até superar o desempenho de Atenas-2004 - quando a equipe ganhou cinco medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.