Chuva de gols remete às melhores épocas do clube

Os 10 a 0 que Robinho e a garotada da Vila aplicaram no Naviraiense fizeram jus ao histórico de goleadas do Santos. Nos tempos de Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, nas décadas de 50 e 60, todo jogo carregava a expectativa de um show de bola na rede.

, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2010 | 00h00

No Paulista de 1959, aquela equipe esbanjou. Fez 155 gols em 41 jogos, recorde até hoje inigualado na competição. Entre as vítimas, Jabaquara (7 x 0), XV de Jaú (8 x 2), América (8 x 0 ) e até o Palmeiras (7 x 3). De quebra, atropelou a Ponte Preta por 12 a 1, idêntico ao placar histórico de 1927, sobre o Ypiranga.

Após o fim daquela era, o Santos voltou a quebrar recordes nos anos 2000, com a segunda geração dos Meninos da Vila. Liderado por Robinho, o time de 2004 fez 103 gols em 46 jogos na conquista do Campeonato Brasileiro, marca inédita na competição. Naquele ano, os que mais sofreram foram Grêmio (5 x 1), Fluminense (5 x 0) e Paysandu (6 x 0), todos na Vila. BRUNO DEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.