Ciclismo chileno: trunfo na oficina

Com 72 anos de idade, o mecânico da equipe chilena de ciclismo, que disputa em Curitiba os 7º Jogos Sul-Americanos, Samuel del Valle, mostra uma agilidade fora do comum. Tão logo um ciclista desce da bicicleta, o mecânico corre para pegar o equipamento, revisá-lo e deixar pronto para nova prova, além de, ao lado da pista, incentivar a todo o instante os atletas. Mas, apesar da agilidade, ele prepara a aposentadoria para o próximo ano. "Estou cansado", confessa. Samuel orgulha-se de ter tido o primeiro contato com uma bicicleta quando tinha 3 anos de idade. Nunca mais se separou. "Meu pai construiu, em 1918, a primeira bicicleta do Chile", diz. Ele herdou a profissão do pai e a repassou há seis anos para um dos filhos, Leonardo. "É um trabalho manual, artesanal, com muitos detalhes", descreve. Uma bicicleta boa para competição demora seis dias para ficar pronta. O outro filho, Samuel, pratica o mountain bike. Desde 1971, ele é o mecânico da seleção do Chile que, nas provas de pista disputadas em Curitiba, ficou na terceira colocação, com uma medalha de ouro, três de prata e três de bronze, atrás de Venezuela e Argentina. Nesta quinta, seis ciclistas chilenos estarão disputando as provas de estrada. Samuel del Valle esteve com a equipe nas Olimpíadas de Los Angeles e Atlanta.

Agencia Estado,

08 Agosto 2002 | 16h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.