Fábio Motta/AE - 6/1/2008
Fábio Motta/AE - 6/1/2008

Ciclismo terá de se explicar a ministério nesta quinta-feira

Confederação é acusada de ter omitido resultados positivos de doping deliberadamente para não 'manchar' modalidade

, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2011 | 00h00

Membros da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), incluindo o presidente José Luiz Vasconcellos, estarão nesta quinta-feira em Brasília para uma reunião na Secretaria de Alto Rendimento do Ministério do Esporte. E, mais do que falar sobre os avanços e necessidades da modalidade - objetivos iniciais do encontro -, terão que se explicar sobre os inúmeros casos de doping que atingem o esporte desde 2009.

Os resultados positivos de exames realizados nos últimos três anos pela União Ciclística Internacional (UCI) vieram à tona no dia 3, após denúncia da ESPN Brasil, que prepara reportagem especial sobre o tema.

A emissora acusa a CBC de ter omitido os resultados positivos deliberadamente, com o objetivo de não "manchar" a modalidade e não correr riscos de perder o patrocínio do Banco do Brasil. Atletas foram orientados pela confederação, segundo a ESPN Brasil, a não mencionar as suspensões. Atualmente, não há contrato vigente entre Banco do Brasil e CBC. E a renovação, antes na pauta do banco, agora está "sob análise".

Marco Aurélio Klein, diretor da Secretaria, disse que tentou contato com Vasconcellos em busca de esclarecimentos, mas foi informado de que o presidente estava na Colômbia, onde era realizado o Pan-Americano de Ciclismo. Preferiu, então, a reunião que estava previamente agendada para cobrar explicações.

De acordo com informações passadas pela UCI ao Estado, pelo menos oito ciclistas estão suspensos atualmente, com punições que variam de 8 meses a dois anos. Seis outros positivos foram recentemente enviados para a CBC - quatro são referentes a 2010 e dois foram realizados este ano.

Veja também:

linkGoverno fará exame antidoping em atletas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.