Kim Ludbrook / EFE
Kim Ludbrook / EFE

Ciclista brasileiro obtém resultado inédito em ultramaratona de mountain bike

Ao lado de alemão, Henrique Avancini consegue medalha de bronze na prova mais importante da modalidade

Estadão Conteúdo

25 de março de 2018 | 14h08

Na Cape Epic, mais importante ultramaratona de mountain bike do mundo, a dupla formada pelo brasileiro Henrique Avancini e pelo alemão Manuel Fumic conseguiu a terceira colocação geral. Foi a primeira vez que um brasileiro subiu ao pódio na prova, disputada nos arredores de Cape Town, na África do Sul.

+ Após ser atropelado, atleta encontra redenção em uma bicicleta

+ Triatleta da África do Sul sofre ataque com serrote durante treino

+ Sob investigação de doping, Froome volta a competir e garante ser inocente

A prova consiste de sete etapas, disputadas em sete dias, além de um prólogo. A dupla germano-brasileiro ficou nas primeiras colocações ao longo de todo a maratona, e chegou a vencer duas etapas. Chegaram no oitavo dia na segunda colocação, com chances de título, mas ambos tiveram problemas: enquanto Fumic sofreu uma fratura em dedo da mão em uma queda, Avancini teve um pneu furado. Os dois terminaram em nono lugar na última etapa, o que assegurou o terceiro lugar geral.

“Estou muito feliz em colocar o Brasil entre os melhores do mundo. Foi mais um grande passo na minha carreira. Eu e o Manuel estamos em processo de crescimento e ainda acredito que vamos vencer a Cape Epic num futuro próximo”, disse Avancini, que na temporada passada terminou na 5ª colocação do ranking da UCI (União Ciclística Internacional).

A Cape Epic é disputada desde 2004 e atrai a elite dos ciclistas de Mountain Bike do mundo para correr 658 quilômetros. É também o evento da modalidade mais transmitido em todo o mundo, chegando a 175 países. Recebeu o apelido de "a Volta da França do Mountain Bike".

Tudo o que sabemos sobre:
ciclismo [esporte]Mountain Bike

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.