Ciclista fracassa em ação para reaver medalha olímpica

O ciclista italiano Davide Rebellin perdeu a sua apelação contra a retirada da sua medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, por conta de doping. A Corte Arbitral do Esportes (CAS, na sigla inglês) decidiu nesta sexta-feira que o Comitê Olímpico Internacional (COI) agiu corretamente ao desqualificar o atleta, depois que exame antidoping deu positivo para CERA.

AE, Agência Estado

30 de julho de 2010 | 12h58

Assim, a CAS rejeitou o argumento de Rebellin de que o teste feito a partir de uma amostra do seu sangue não cumpriu as normas internacionais. O italiano foi pego em abril de 2009, oito meses depois da prova de ciclismo estrada na Olimpíada de Pequim, quando o COI analisou novamente as amostras para CERA.

O ciclista italiano de 39 anos negou ter se dopado, mas agora teve a sua medalha definitivamente retirada. A decisão inicial sobre a perda da sua medalha aconteceu em novembro, com o atleta tendo entrado em seguida com um recurso na CAS, que fracassou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.