Ciclista italiano Bossoni leva dois anos de suspensão

Atleta foi pego no exame antidoping pela substância eritropoetina em exame realizado em 29 de junho

EFE,

22 de outubro de 2008 | 17h10

O tribunal antidoping da Itália aplicou nesta quarta-feira uma suspensão de dois anos ao ciclista Paolo Bossoni, que deu positivo pela substância eritropoetina (EPO).O ciclista, da equipe Lampre, foi pego num exame feito em 29 de junho durante o campeonato nacional de estrada, na cidade de Bergamo (norte do país). Bossoni, de 32 anos, foi afastado da Lampre após o anúncio do doping, em 31 de julho.Também nesta quarta, a comissão antidoping do comitê olímpico italiano confirmou o positivo por EPO do ciclista Giovanni Carini, com base na contraprova. Ele acabou pego em 28 de junho, após vencer o campeonato italiano sub-23.Por outro lado, Leonardo Piepoli não se apresentou nesta quarta à comissão antidoping do comitê olímpico italiano. Ele deveria ser interrogado após dar positivo pela substância Cera, a EPO de terceira geração, nos exames dos dias 4 e 15 de julho da Volta da França.O próprio Piepoli havia pedido o adiamento da sessão inicialmente marcada para o dia 10. O único a comparecer foi o advogado, que retirou toda a documentação sobre o caso.Piepoli deu positivo num exame prévio ao início da corrida, em Brest, e posteriormente num controle após a oitava etapa, com chegada em Toulouse.Os dias coincidem com os do também italiano Riccardo Riccò, seu companheiro na equipe Saunier Duval. Ele foi pego igualmente por Cera. Ambos acabaram expulsos por violarem o código ético.Piepoli negara ter ingerido qualquer substância em declarações à procuradoria do comitê olímpico italiano no dia 31 de julho, quando compareceu como testemunha no caso envolvendo Riccó. No último dia 2, Riccò acabou condenado a dois anos de suspensão.DOPINGA eritropoetina é um hormônio que tem como principal função multiplicar a quantidade de glóbulos vermelhos, células sanguíneas que servem para transportar oxigênio.Dessa maneira, os músculos da pessoa ficam mais oxigenados e, no caso do atleta, ele ganha vantagem sobre os adversários no seu desempenho físico.

Tudo o que sabemos sobre:
dopingciclismoVolta da França

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.