Cielo arrasa na semi e nada por mais um ouro. Agora nos 100

Mesmo 'segurando o ritmo', brasileiro quebra o recorde da prova da competição e hoje vai em busca da marca mundial

, O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2010 | 00h00

Depois de brilhar intensamente na prova nos 50 metros livre do Mundial de Natação de Dubai, disputada na sexta-feira em piscina curta, quando conquistou o ouro, Cesar Cielo voltou a mostrar ontem que está em excelente forma ao garantir vaga na final dos 100m livre também. O nadador brasileiro quebrou o recorde da prova no campeonato de piscina curta, com o tempo de 46s0. A disputa por medalhas ocorre hoje, a partir das 13 horas (horário de Brasília),

Cielo nadou na segunda bateria das semifinais dos 100m livre e liderou a prova com facilidade, chegando a virar os 50 metros abaixo da marca mundial. E, mesmo diminuindo o ritmo nos metros finais, bateu o recorde do campeonato, que era de 46s62, do francês Amaury Leveaux.

O próprio nadador paulista reconheceu que procurou se poupar para a final de hoje. "Eu estava nervoso, mas era aquele nervosismo bom, da adrenalina necessária para a competição. Dei uma segurada, mas é bom para a minha cabeça. É bom saber que estou sobrando, que estou com moral. Quero fazer uma boa prova, se possível melhorar o meu tempo na final", declarou.

O francês Fabien Gilot ficou com o segundo melhor tempo, com 46s11, enquanto o terceiro colocado foi o australiano Matthew Abood, com 46s61. O francês Alain Bernard, atual campeão olímpico da prova, passou para a final na quarta colocação, com o tempo de 46s71.

A vitória de ontem nas semifinais dos 100m veio em um dia especial para Cielo. Nessa mesma data, um ano atrás, ele bateu o recorde mundial da mesma prova em piscina longa no Open de Natação, em São Paulo.

Depois de encerrar sua participação no Mundial de Dubai, Cielo dará início ao planejamento para 2011. Seu principal objetivo é o Mundial de Xangai, encarado como preparação para os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.