Satiro Sodré/Divulgação
Satiro Sodré/Divulgação

Cielo avança em 5.º à semifinal dos 50m borboleta no Troféu José Finkel

Nadador do Flamengo cravou 23s95, enquanto o mais veloz das baterias foi Lazaroni

AE, Agência Estado

24 de agosto de 2012 | 11h29

SÃO PAULO - Com o quinto melhor tempo das eliminatórias realizadas na manhã desta sexta-feira, no Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo, Cesar Cielo avançou às semifinais dos 50 metros borboleta do Troféu José Finkel de Natação. Admitindo certo desgaste por causa das provas que disputou anteriormente na competição, o nadador do Flamengo cravou o tempo de 23s95, enquanto o mais veloz das baterias classificatórias foi Jander Lazaroni, da Associação Esportiva São José, que marcou 23s66.

Kaio Márcio Almeida (23s84), do Fluminense, Thiago Sickert (23s88) e Nicholas Santos (23s91), ambos do Flamengo, ficaram respectivamente na segunda, terceira e quarta colocações. Cielo, porém, nadou tranquilo, já que apenas 17 nadadores disputaram as eliminatórias dos 50 metros borboleta, sendo que 16 foram às semifinais.

"Começa a bater um cansaço porque está muito seco (o clima). Tenho me hidratado demais. À noite tanto eu quanto o Nicholas vamos nadar pra classificar. O projeto é tentar uma dobradinha pra acumular pontos pro clube na final de sábado", afirmou Cielo, logo após a sua prova desta sexta-feira.

Na última quinta, o campeão olímpico em Pequim/2008 foi à final dos 100 metros livre do José Finkel com o melhor tempo das semifinais. Na ocasião, ele cravou 47s42 e ainda não obteve o índice da prova para o Mundial de Piscina Curta de Istambul, em dezembro, mas o atleta preferiu se poupar visando as provas que disputará nesta noite de sexta. Além das semifinais dos 50 metros borboleta, ele estará nas finais dos 100 metros livre e do revezamento 4x100 metros livre.

Já na versão feminina dos 50 metros borboleta, Daynara de Paula, do Flamengo, foi a única que conseguiu nadar na casa dos 25 segundos nas eliminatórias desta sexta. Ela cravou 25s90, mas ainda assim ficou a 14 centésimos do índice para o Mundial de Istambul, que é de 25s76.

"Continuo sentindo o cotovelo (esquerdo). Falei com o médico e ele disse que pode ser consequência de algum movimento errado em treino. Por causa da dor até mudei meu jeito de nadar, o que está me limitando principalmente nas viradas. Daí terem me poupado dos 100 metros livre. Isso pode ter feito a diferença pra esses 14 centésimos que faltam pro índice. Quero muito ir nesse Mundial e de preferência fazer logo o índice", disse Daynara.

THIAGO PEREIRA AVANÇA

Se Cielo se poupou para chegar forte nas provas da noite, Thiago Pereira foi o segundo colocado das eliminatórias dos 200 metros medley, nesta sexta-feira pela manhã, em uma disputa na qual também procurou não se desgastar. Nadador do Corinthians, o medalhista de prata na Olimpíada de Londres cravou 1min58s57, enquanto Henrique Rodrigues foi o líder com 1min58s19.

"Hoje (sexta) dei uma segurada boa na eliminatória. Ontem (quinta) foi puxado pra mim com três provas na final à noite (ouro nos 100m medley e 4x200m livre e prata nos 200m borboleta) e esse ar seco. O índice eu acho que faço, mas precisei pegar leve agora", enfatizou.

Já na prova feminina dos 200 metros medley, a holandesa Frederike Heemskerk, do Minas Tênis, fez o melhor tempo das eliminatórias ao cronometrar 2min12s14, enquanto Joanna Maranhão, do Flamengo, ficou em segundo lugar com 2min14s96.

Também na manhã desta sexta, Daniel Orzechowski e Guilherme Guido foram os mais rápidos das eliminatórias dos 100 metros costas, com o primeiro deles marcando 52s88 e o segundo cravando 53s06. Entre as mulheres, a australiana Kelly Stubbins (1min01s10), do Flamengo, e Fabíola Molina (1min01s30), do Minas Tênis, avançaram às semifinais da versão feminina desta prova com os melhores tempos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.