Cielo critica falta de grandes competições no Brasil

O nadador César Cielo, campeão olímpico e mundial, revelou-se preocupado com o futuro de seu esporte no Brasil. Nesta quinta-feira, durante evento de um patrocinador em São Paulo, Cielo reclamou da falta de competições de grande porte no País. Em setembro, por exemplo, a etapa do Rio da Copa do Mundo foi cancelada.

RAFAEL VERGUEIRO, Agencia Estado

22 de outubro de 2009 | 13h51

"O Brasil perdeu a etapa da Copa do Mundo por má vontade e falta de dinheiro, um pouco dos dois. Ainda mais no bom momento em que estamos, isso infelizmente acabou tirando uma competição do nosso planejamento. A gente espera, no futuro, ter mais competições aqui, só que hoje só disputamos competições de alto nível fora do Brasil", disse o medalhista de ouro nos 50 metros livre na Olimpíada de Pequim e campeão mundial dos 50 e 100 livre.

Cielo também criticou a situação do complexo aquático Maria Lenk, construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007 e praticamente abandonado. "Acho que deram uma maquiada no Maria Lenk, hoje está tudo quebrado de novo", disse o nadador. Para ele, esse tipo de planejamento deve ser revisto rumo à Olimpíada de 2016.

"Não pode ser só uma competição e acabou, temos de ter uma estrutura para depois termos mais competições aqui. Eu acho que investimento tem de ser feito a longo prazo, é um trabalho de anos", afirmou o maior ídolo do esporte no País.

Para ilustrar a falta de grandes competições no Brasil, um dado basta. Para a torcida brasileira, as chances de ver o campeão mundial em ação até o fim da temporada serão apenas duas: o Open de natação, no clube Pinheiros, na capital paulista, e o Paulista de natação.

Cielo deve disputar os 50 e 100 metros livre, além dos revezamentos 4x100 livre e medley nas duas competições. No entanto, ele não promete grandes apresentações. "Já penso na temporada do ano que vem", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
nataçãoCésar Cielocríticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.