Divulgação
Divulgação

Cigano deixa Bahia e busca novos ares ao lado de José Aldo e Barão no Rio

Ex-campeão dos pesos pesados no UFC treinará na academia dos irmãos Minotauro e Minotouro

Ronald Lincoln Jr., O Estado de S. Paulo

21 de fevereiro de 2014 | 17h01

RIO - Em procura de novos ares e vitórias, o lutador Junior Cigano deixou a Bahia para se juntar a José Aldo e Renan Barão, na academia Nova União, localizada no Rio, sob o comando do treinador Dedé Pederneiras. Cigano perdeu o título do pesos pesados do UFC para Cain Velasquez, depois saiu novamente derrotado na luta de revanche.

 

Agora, Cigano está em busca de evoluir e agregar novas técnicas ao seu repertório e acredita que o novo ambiente, colegas e treinador o ajudarão muito. "Não é à toa que o Dedé (Pederneiras) disputa o título de melhor treinador todo ano. Eu o admiro muito. Não só ele, como o time, todos são muito unidos e objetivos." E justificou a saída de Salvador. "Acho que as coisas estavam um pouco paradas em Salvador, meio descentralizadas. E é aqui (Rio) que as coisas acontecem mesmo e quero me tornar um atleta melhor", comentou.

 

No Rio, os treinamentos serão intensivos. Além de Dedé Pederneiras, Cigano seguirá sob acompanhamento do técnico Luiz Dorea e treinando na academia Team Nogueira, com os irmãos Minotauro e Minotouro. "Eu acho que isso vai funcionar muito bem para mim. Treinando os mais variados tipos de arte, isso vai ser muito bom."

 

Por enquanto, Cigano não tem uma nova luta prevista, mas espera enfrentar Velasquez novamente. "Ele mesmo disse que não lutaria. Mas acho que não é bem assim. É lógico que não será tão cedo, mas se ele continuar como campeão e eu conseguir mais duas, três vitórias, nós vamos nos enfrentar de novo", e está confiante em um resultado melhor. "Nas próximas lutas acho que vocês vão ver um cigano diferente, e isso vai me colocar de frente com o Velasquez novamente, e espero com um resultado diferente do que o da última vez."

Tudo o que sabemos sobre:
UFCJunior Cigano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.