Kelly Cestari/WSL
Kelly Cestari/WSL

Circuito Mundial de Surfe cancela etapa na Austrália após ataques de tubarões

Decisão da WSL foi tomada como medida de segurança aos surfistas

Estadão Conteúdo

17 Abril 2018 | 22h10

A Liga Mundial de Surfe (WSL, na sigla em inglês) anunciou nesta quarta-feira o cancelamento da etapa de Margaret River, na Austrália, do Circuito Mundial. A decisão foi tomada como medida de segurança aos surfistas por conta de ataques de tubarões nas proximidades do local de disputa da competição.

+ BLOG TUBOS E AÉREOS: Rumo a Tóquio-2020

"A WSL tem a maior preocupação com a segurança. Surfe é o esporte que carrega diversos riscos, e é o único que animais selvagens habitam o local de disputa. Tubarões ocasionalmente podem interferir nas competições e no surfe de uma maneira geral. Houve acidentes no passado e é provável que haja outros no futuro. Isso não impedirá que aconteçam campeonatos. Mas o elevado risco nesta temporada em Margaret River passou o limite do aceitável", informou o comunicado publicado no site oficial da entidade.

Nesta terça-feira as baterias já haviam sido canceladas por precaução. Dois ataques de tubarões ocorreram nas últimas 24 horas, causando pânico e assustando os surfistas. Em Cobblestones, a cerca de 15 quilômetros de Margaret River, o italiano Alejandro Travaglini foi mordido na perna e teve de ser socorrido de helicóptero e levado para um hospital em Perth. Já o dinamarquês Justin Longrass foi atacado em Lefthanders, machucou a perna e ficou com as marcas da mordida em sua prancha.

Na segunda-feira, a competição feminina da terceira etapa do Circuito Mundial de Surfe foi paralisada e retomada horas depois, quando as autoridades garantiram que não havia risco para os surfistas. Do alto, drones monitoravam as atividades dentro da água, para detectar qualquer presença de tubarão.

A WSL ainda não definiu como fará com o sistema de pontuação da etapa. "Nossa estrutura competitiva permite a distribuição de pontos em caso de cancelamento. No entanto, ainda não desistimos de completar a competição masculina e feminina neste ano. Vamos comunicar a decisão oficial mais adiante."

"Sabemos que nem todos concordarão com essa decisão, mas esperamos que todos respeitem. A segurança dos atletas é nossa absoluta prioridade. Agradecemos a comunidade local, nossos parceiros e nossos surfistas por apoiarem a decisão", finalizou o comunicado.

Mais conteúdo sobre:
Circuito Mundial de Surfe surfe tubarão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.