City luta contra jejum de vitórias Balotelli defende o Milan pela primeira vez contra a Inter

Sem vencer há três rodadas, o Manchester City recebe hoje o Chelsea num jogo que pode dar paz ao técnico Roberto Mancini ou alimentar os rumores de que ele será demitido ao final da temporada.

MANCHESTER, MILÃO, MANCHESTER, MILÃO, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2013 | 02h04

"Não aguento mais as perguntas sobre o meu futuro em todas as entrevistas. Não vejo motivo para o clube me mandar embora, porque ganhamos três dos últimos sete troféus disputados, mas se vocês querem saber mais sobre o assunto devem perguntar para os dirigentes", disse o treinador.

Seu time está em segundo lugar, com quatro pontos de vantagem sobre o Chelsea.

França. Paris Saint-Germain e Olympique de Marselha fazem o clássico da rodada hoje à noite no Parque dos Príncipes. O jogo deve marcar a estreia do inglês David Beckham no PSG, que lidera o campeonato com 51 pontos - o Olympique está em terceiro com 46. Lucas, que ficou no banco na derrota por 3 a 2 para o Sochaux na rodada passada, começará jogando.

Ronaldo Fenômeno foi convidado pela direção do PSG para ver o jogo e dar o pontapé inicial.

O principal jogo da rodada não reúne nenhuma equipe que briga pelo título, mas sim dois grandes rivais que lutam pelo mesmo objetivo: a terceira e última vaga para a Copa dos Campeões. Milan (quarto colocado com 44 pontos, mesma pontuação da Lazio, que está em terceiro) e Inter (quinta com 43) se enfrentam hoje no San Siro num clássico cheio de atrações.

Será a primeira vez que Balotelli enfrentará a Inter com a camisa do Milan, e espera-se uma recepção pouco simpática a ele - como a Inter é mandante, seus torcedores ocuparão 90% do estádio. Mas desafeto por desafeto, a torcida do Milan tem o seu do outro lado: Cassano, que trocou o clube pelo rival e não perde uma chance de criticar seu ex-time nas entrevistas.

A Inter começou o campeonato bem melhor. Ganhou o dérbi do primeiro turno por 1 a 0 na sétima rodada, acabou com a invencibilidade da Juventus em seu novo estádio na 11ª com uma vitória por 3 a 1 que a deixou a um ponto da líder, mas caiu de rendimento de dezembro para cá e fez apenas nove pontos nas últimas nove rodadas. Domingo passado perdeu para a Fiorentina por 4 a 1 fora de casa.

O Milan tem uma trajetória inversa. Na oitava rodada era o 15º colocado, mas nas últimas 13 é o time que mais somou pontos. E no meio de semana deu uma grande demonstração de força ao bater o Barcelona por 2 a 0 pela Copa dos Campeões num jogo em que não deixou a máquina espanhola criar sequer uma chance de gol.

A líder Juventus, que tem quatro pontos de vantagem sobre o Napoli e 11 sobre Lazio e Milan, jogará em casa contra o Siena.

O adversário está na zona de rebaixamento com 21 pontos, mas nas últimas três rodadas fez sete pontos e ganhou com autoridade de Inter (3 a 1) e Lazio (3 a 0).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.