Claros na arquibancada deixam Fifa preocupada

Primeiro jogo das oitavas de final mostra menos público do que a organização do Mundial gostaria

, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2010 | 00h00

O vermelho predominou ontem no Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth. E a cor não era em homenagem a Coreia. No primeiro jogo das oitavas de final da Copa da África, o vermelho das cadeiras vazias é que deu o tom. A expectativa de estádio lotado não se confirmou.

A Fifa já havia mostrado preocupação nos primeiros jogos do Mundial, ao ver alguns estádios sem sua capacidade máxima. Meia hora antes de o jogo de ontem começar, metade dos lugares do estádio permanecia vazia. Aos poucos, a torcida foi chegando, mas não foi a ponto de preencher todos os lugares desocupados.

Uruguaios e sul-coreanos dividiram a paixão por seus times - cada um com gritos e barulhos diferentes. As vuvuzelas perderam ontem intensidade, apesar da maioria de sul-africanos nas arquibancadas.

Um dos fãs uruguaios carregava uma bandeira do seu país e garantia que ela esteve na final da Copa da 1950, no Maracanã com o seu avô. Mas quem ganhou o título de maior bandeira até aqui foi a Coreia. Antes de a bola rolar, o bandeirão se abriu e serviu para esconder algumas das cadeiras vazias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.