Clássico da pressão em Prudente

Embora tenham campanhas distintas, Palmeiras e Corinthians entram em campo amanhã para afastar de vez as ameaças de crise e muita confusão

Daniel Batista e Vitor Marques,

27 de agosto de 2011 | 00h35

Embora o Corinthians seja líder isolado com oito pontos de vantagem sobre o Palmeiras, as duas equipes vão para o clássico sob pressão. Um para se manter na ponta no fechamento do primeiro turno e recuperar o bom futebol. O outro, para não abandonar a briga pelo título.

No Corinthians, Tite vai recorrer ao esquema com três atacantes que iniciou muito bem o Brasileiro. A semana que tinha tudo para ser tranquila ganhou ares dramáticos depois da derrota por 2 a 0, em casa, para o Figueirense, sábado passado.

Vieram as vaias e, ao final do jogo, Tite deixou bem claro que vencer o Palmeiras se tornaria uma obrigação. "Com a derrota, a pressão aumentou."

Já o Palmeiras, que completou ontem 97 anos, apesar da vitória por 3 a 1 sobre o Vasco, pela Sul-Americana, vai mal. O time não vence há cinco jogos no Brasileiro e Luiz Felipe Scolari admitiu que mais um tropeço amanhã faz com que o título se torne um sonho impossível.

"Tivemos uma sequência muito boa até o décimo jogo e depois caímos. Foram muito empates, que não adiantavam de nada. Temos que ganhar domingo para ficar no bolo da parte de cima. Se não vencermos, fica difícil", analisou o treinador palmeirense.

Os motivos que fizeram as duas equipes chegarem ao clássico sob tensão são diferentes. Tite culpa os desfalques por cartões e contusões. Chegou a pedir calma aos torcedores e disse que iria recolocar o time nos eixos.

Felipão credita o momento à falta de criatividade de seu meio de campo. "Prefiro até levar mais gols, mas preciso melhorar do meio para frente", resumiu. O treinador alega que não tem um meia que possa organizar o jogo. Valdivia seria o que mais se aproxima disto, mas tem uma característica de carregar mais a bola.

Já Tite conta com Danilo e Alex, que, assim como o treinador, também está na parede. Alex custou R$ 14 milhões e ainda não rendeu o esperado. Pode até começar no banco amanhã.

Prudente pronta. Enquanto Corinthians e Palmeiras se preocupam com o jogo de amanhã, a cidade de Presidente Prudente não vê a hora de receber os atletas das duas equipes. A Prefeitura reformou o estádio Eduardo José Farah e promete que vai surpreender muita gente que tem criticado o gramado, lembrando do clássico do ano passado.

"Posso garantir que hoje temos o melhor gramado do estado de São Paulo. A prova será neste domingo", disse Alfredo Penha, Secretário de Obras e Serviço Público de Presidente Prudente e responsável pela manutenção do estádio.

Para jogar em Prudente, o Palmeiras não paga hospedagens. Apenas arca com a passagem aérea. O Corinthians não vai ter desconto algum, mas terá 18.525 ingressos (41% do total) dos 45.176 colocados à venda. Não existem mais bilhetes para os corintianos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.