Clássico no Rio volta a decidir título da Superliga

Os últimos cinco meses de trabalho das duas melhores equipes brasileiras do vôlei feminino serão jogados hoje, numa partida que vale o título de campeã da temporada. Rexona-Ades e Finasa/Osasco decidem, pela quarta vez consecutiva, o título da Superliga Feminina de Vôlei, hoje, às 9h45, no Maracanãzinho, no Rio (com portões abertos e transmissão da TV Globo). Esta será a primeira final em jogo único, uma novidade. O regulamento que, até o ano passado, previa a decisão num playoff melhor-de-cinco jogos foi mudado. Mas, mais uma vez, será a decisão entre os dois times que mandam no vôlei feminino e isso não é novidade.As duas equipes juntas têm sete títulos das últimas dez temporadas - quatro são do Rio (97/98, 99/00, 05/06 e 06/07) e três de Osasco (02/03, 03/04 e 04/05). Na temporada, o Rexona venceu três dos quatro confrontos entre as equipes, na fase classificatória, mas como a decisão é num jogo único qualquer resultado é possível e a aposta, dos dois lados, é de equilíbrio. "Estamos em igualdade de condições, até porque o Maracanãzinho é o palco do vôlei, uma arena neutra", afirma Luizomar Moura, técnico de Osasco, que vai apostar na experiência de jogadoras como Paula e Elisângela para comandar novatas como Natália e Adenízia.O técnico Bernardo Rezende, que comanda jogadoras da seleção, como Fabiana, Fabi e Sassá, disse que não há como evitar a tensão de apenas uma partida. "É natural quando as equipes chegam nessa fase. Elas sabem que existe pressão, não há o que fazer. Mas é lógico que vamos chamar aquelas que têm mais responsabilidade a assumirem essa função", comenta Bernardinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.