Clássico para testar os nervos

Com a cabeça na Libertadores, Palmeiras e São Paulo travam duelo para retomar a confiança hoje no Palestra

Daniel Akstein Batista e Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

24 de maio de 2009 | 00h00

Além de entrar no mesmo campo, o do Palestra Itália, às 16 horas, Palmeiras e São Paulo estão em posições também semelhantes e têm desejos iguais no jogo de hoje pelo Campeonato Brasileiro. Uma vitória no clássico significa a retomada da confiança - e motivação extra - para o início da disputa dos confrontos pelas quartas de final da Taça Libertadores: o time alviverde se defronta com o Nacional, na quinta-feira, enquanto a equipe tricolor trava embate com o Cruzeiro, um dia antes.O Palmeiras classificou-se de maneira heroica na competição continental, nos pênaltis, depois de derrota por 1 a 0 para o Sport no tempo normal. Confiante, foi a Porto Alegre enfrentar os reservas do Internacional no domingo passado. Perdeu por 2 a 0. E a certeza de que estava no rumo certo se esvaiu. Tanto que o goleiro Marcos criticou a equipe. Disse que quem ambiciona conquistar a Libertadores não pode perder uma partida daquela forma.Agora, o elenco alviverde tem a chance de se reabilitar. Apesar de Vanderlei Luxemburgo pedir foco total na partida de hoje, os jogadores reconhecem que o confronto da Libertadores tem peso muito maior. "Sem dúvida, é o jogo mais importante", diz Diego Souza.Os são-paulinos reconhecem a má fase. A última vitória ocorreu há mais de um mês, em 22 de abril, diante do América de Cali. Desde então, o time jogou pouco e não mostrou qualidade. "O São Paulo não está atravessando uma fase muito boa", confirma o volante Arouca. "Vencer um clássico como esse, com muita rivalidade, dá sempre um moral muito grande. Nossa equipe está precisando", reforça o meia Jorge Wagner. Pierre, suspenso, desfalca o Palmeiras. O São Paulo está em pior situação: não terá no gol Rogério Ceni nem Bosco. Joga Denis, de 22 anos. Renato Silva, Rodrigo e Borges também estão fora. Além deles, Dagoberto, Jean e André Dias podem ser poupados por Muricy Ramalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.