Clube confirma intenções de Maurren

A BM&F Atletismo confirmou nesta sexta-feira que, em reunião com dirigentes do clube, Maurren Higa Maggi ?manifestou a intenção de se dedicar à família, mas não formalizou, ainda, essa decisão?. A informação foi distribuída em nota oficial, após repercussão do anúncio, de que a saltadora não irá aos Jogos Olímpicos de Atenas, independentemente de ser absolvida no caso de doping, porque pretende investir na vida a dois com o piloto de testes da Williams, Antonio Pizzonia.Pizzonia não foi encontrado e Maurren não conversa com a imprensa desde junho, apesar dos insistentes pedidos que recebe. Nestes sete meses, só falou na entrevista coletiva em que justificou o resultado positivo de seu antidoping e após ser absolvida em julgamento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no dia 19.?O contrato de Maurren com o Clube BM&F expirou em dezembro de 2003. Foi realizada uma reunião de representantes do Clube BM&F com Maurren na quinta-feira, 29 de janeiro. Maurren manifestou a intenção de se dedicar à família, mas não formalizou, ainda, esta decisão?, informa o texto da nota oficial do clube, o maior e mais bem estruturado do atletismo no Brasil, com cem atletas.O diretor-técnico da equipe BM&F, Sérgio Coutinho Nogueira, insiste que espera a decisão da atleta até segunda-feira. ?Aparentemente, ela não vai à Olimpíada, mas se aparecer com a roupa de treino na segunda, será ótimo?, afirmou, lembrando também que Maurren pretende defender-se no caso de doping até a última instância.Processo - O advogado Luciano Hostins, que defende Maurren no processo de doping ? teve resultado positivo para a substância Clostebol, que seria resultado do uso de um creme cicatrizante depois de depilação a laser? , conseguiu absolvê-la no STJD da Confederação Brasileira de Atletismo. Agora, aguarda a homologação da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF). ?Até que isso aconteça, meu trabalho está feito?, explicou.Luciano Hostins garantiu que foi surpreendido pela notícia de que Maurren não estará em Atenas em agosto. ?A absolvição foi um alívio, em razão de ela prestar contas à Nação. Mas pesa o lado emocional e técnico e isso é ela quem sabe?, afirmou o advogado.Segundo Hostins, a IAAF terá 60 dias, após o envio do processo pela CBAt ? provavelmente na próxima semana ?, para se manifestar (em março).?A BM&F cobriu todos os custos da atleta com sua defesa, tais como advogado, perito, etc. A decisão de Maurren é de caráter pessoal e somente ela ou pessoas por ela autorizadas podem falar sobre seu destino?, acrescenta a nota oficial do clube.Se não voltar a treinar na segunda-feira, Maurren não deve continuar tendo o apoio financeiro do clube para sua defesa.Para o presidente da Federação Paulista de Atletismo, José Antônio Martins Fernandes, que trouxe Maurren para o Projeto Futuro, de São Paulo, em 1994, quando a Eletropaulo mantinha uma equipe de atletismo ? ?ela tinha vale-refeição e assistência-médica? ?, uma atleta ?que trabalhou duro e evoluiu tanto como ela, a ponto de tornar-se integrante da elite mundial do atletismo, não pode desistir agora?. O dirigente também disse que a comunidade do atletismo paulista confia totalmente na honestidade de Maurren. ?É um momento difícil, conturbado, mas vai passar. Ela teria de superar isso, pelo bem do atletismo brasileiro, dela própria, de técnicos e de patrocinasdores que investiram nela.?

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2004 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.