Wilton Junior
Wilton Junior

Clube de canoagem cobra melhorias na acessibilidade à praia da Urca

Rampa íngreme impede que atletas subam e desçam sozinhos e faltam banheiros adaptados

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

18 de março de 2018 | 07h00

Com o apoio da Associação dos Moradores da Urca, o clube de canoagem Rio Va’a busca melhorias para a infraestrutura do treinamento junto à prefeitura do Rio de Janeiro. Os principais pedidos são melhor conservação da área e pontos importantes de acessibilidade, como banheiros adaptados e uma rampa que facilite o acesso dos portadores de deficiência à areia.

“O conceito de mobilidade prevê que os próprios cadeirantes consigam se deslocar. No nosso caso, os atletas não conseguem subir ou descer a rampa sozinhos. Ela é muito íngreme”, explica Nicolas Bourlon, presidente do clube de canoagem. 

Por outro lado, o clube conseguiu a cessão de uso do prédio histórico que antes abrigava o Hotel Balneário, localizado na praia da Urca. Por meio de um convênio com a prefeitura, alunos e instrutores podem usar as cabines como vestiário. “Alguns moradores estavam implicando com as canoas, afirmando que elas incomodavam os banhistas. Nós defendemos o projeto e conseguimos um local adequado para todos os equipamentos”, explica Celi Paradela Ferreira, presidente da associação. 

Hoje, o projeto conta com o apoio financeiro da própria associação, das mensalidades dos alunos e da empresa Civil Master Engenharia em Altura, que oferece contribuições mensais. “Nós trabalhamos em locais de difícil acesso, como contenção de encostas em rodovias. Por isso, decidimos apoiar um projeto que mostrasse as dificuldades de acesso na vida”, explica Jan Ghelman, da empresa parceira. “O contato com os atletas da paracanoagem tem sido importante para conscientizar nossos funcionários”, diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.