Clube estuda trocar a Nike pela Adidas

Os problemas no fornecimento de material esportivo podem levar o Corinthians a trocar a Nike pela Adidas. As reclamações, que já existiam no ano passado, se agravaram este ano, com o lançamento do terceiro uniforme, na controversa cor roxa. Desde que a camisa foi lançada, na semana passada, as tradicionais versões em branco e preto sumiram das lojas. "De fato houve problemas no fornecimento", admite Caio Campos, gerente de marketing do Corinthians. "Os uniformes 1 e 2 estão faltando em alguns pontos, mas até o fim do mês que vem a situação já estará normalizada." Campos citou a "troca de fornecedor" da Nike como causa para o problema. José Rubens Radomysler, presidente da Drastosa, empresa que fabrica o material para a Nike, afirma que houve mudança no sistema de distribuição. "Até o ano passado, nós fabricávamos e distribuíamos tudo. Agora, faz uns seis meses, nós apenas produzimos e entregamos. A distribuição agora é por conta deles (Nike)", diz Radomysler.Apesar de toda a insatisfação do Corinthians, a multinacional americana diz que o contrato será mantido. "Estamos nos entendendo bem e temos contrato até 2009", desconversa o gerente de comunicação da Nike, David Grimberg.Segundo o Estado apurou, a Adidas entrou na briga para patrocinar o Corinthians. O contrato com a Nike termina em 31 de dezembro de 2009 e no dia seguinte começa o ano do centenário corintiano, oportunidade que nenhuma das empresas quer perder. Oficialmente, a Adidas não fala sobre clubes com os quais não têm contrato, mas já há negociações.No ano passado, a Reebok (que pertence à Adidas) fez uma proposta de R$ 25 milhões por três anos de contrato. A Nike, então, ofereceu R$ 10 milhões anuais, além de R$ 5 milhões de luvas e mais R$ 3 milhões em material esportivo. Por três anos, chegava-se a R$ 38 milhões, cifras que agradaram ao Corinthians. Aí a Adidas entrou na jogada: fez proposta nos mesmos valores da Nike ( R$ 12,6 milhões por ano).A diferença é que a Adidas estaria oferecendo um projeto de fornecimento mais arrojado, que permitiria ao clube faturar mais com a venda de produtos - justamente a maior queixa dos corintianos. Reclamações semelhantes são ouvidas no Flamengo, também patrocinado pela Nike. "Eles têm servido muito mal ao clube", disse o presidente Marcio Braga ao Estado. "Estamos negociando a renovação, mas também pode haver uma troca de fornecedor. Certo é que o Flamengo não toma nenhuma decisão desse tipo sem consultar o Corinthians."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.