Clube rompe com a FPF, autora da Denúncia

O Ministério Público de São Paulo, em nota oficial, confirmou: Marco Polo del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, é o responsável pela denúncia de que o São Paulo estaria envolvido na tentativa de manipulação do resultado do jogo contra o Goiás. Inconformado, o time rompeu relações com a FPF. "Não quero saber de conversa com eles", disse, de maneira incisiva, o presidente Juvenal Juvêncio. O MP afirmou que o próprio Del Nero procurou os promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Prevenção e Repressão ao Crime Organizado), na sexta-feira, para fazer a denúncia. Os integrantes do MP sugeriram que a FPF procurasse a Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol, que substituiu o árbitro Wagner Tardelli por Jaílson Macedo de Freitas. A intenção, segundo a entidade, era preservar os clubes envolvidos e o juiz."Essa história chegou para nós às 16 horas (de sábado). Fui dormir às 2 horas. Tentei descobrir o raciocínio lógico por trás de tudo isso, mas não consegui entender", afirmou Juvêncio. "O São Paulo sempre teve uma postura muito digna. E não precisa que ninguém se preocupe com sua imagem. O São Paulo tem dirigentes para fazer isso."Uma das versões sobre o caso é de que o São Paulo teria enviado ingressos do show que Madonna fará no Morumbi para a FPF. Juvêncio não negou distribuir entradas. "Dou ingressos para quem quiser, até para a secretária do Marco Polo. Mas os ingressos para a tribuna, que ele quer, não vou dar."A medida que oficializou o rompimento com a FPF aconteceu antes do início do jogo. Ataíde Gil Guerreiro, representante do clube na entidade, renunciou à função. "O São Paulo está totalmente contra a Federação." Guerreiro enumerou situações em que o São Paulo estaria sendo prejudicado pela FPF. "No episódio do gás no vestiário do Palestra também tentaram nos culpar."O técnico Muricy Ramalho pede que toda a história seja revelada e o culpado, punido. "Isso não é coisa de gente mais ou menos, é coisa de cara grande. Quem fez isso, terá que pagar. Tentaram tirar o brilho do campeonato." A CBF disse que irá se pronunciar sobre o caso apenas hoje, quando ocorre a cerimônia de premiação dos melhores do Brasileiro. O mesmo deve fazer a FPF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.