Clubes se unem para pedir recursos da Lei Agnelo-Piva

Oito clubes brasileiros se reúnem no 3 de fevereiro, em São Paulo, para lançar o Conselho de Clubes Formadores de Atletas Olímpicos. O objetivo da organização é reivindicar mudanças na distribuição de recursos da Lei Agnelo-Piva. Atualmente, o dinheiro arrecadado é repassado pelo COB às confederações e não chega aos clubes.A reunião será às 11 horas no Clube Pinheiros, um dos participantes do conselho, ao lado dos cariocas Vasco da Gama, Flamengo e Fluminense, dos gaúchos Grêmio Náutico União e Sogipa, e de Corinthians e Minas Tênis Clube. O evento terá a presença de atletas olímpicos que representaram o País em Pequim, como André Nascimento (vôlei) e Thiago Pereira (natação), Leandro Guilheiro (judô), Daiane dos Santos (ginástica artística), Jadel Gregório (atletismo) e Gabriela Silva (natação) e do judoca João Derly. O ministro dos Esportes, Orlando Silva, também foi convidado.No último ciclo olímpico, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) recebeu cerca de R$ 288 milhões de recursos federais oriundos da lei, visando a manutenção de atletas. Os clubes, responsáveis por cerca de 77% dos 277 atletas que integram a delegação brasileira em Pequim, não recebem repasses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.