Coaracy investe recursos nas seleções

O presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), Coaracy Nunes, vai investir nas seleções o R$ 1,2 milhão que receberá por força da Lei Piva. Na divisão dos 2% dos prêmios das loterias destinados aos esportes olímpicos, a CBDA é uma das cinco confederações (ao lado de atletismo, basquete, vela e vôlei) que terão as maiores verbas. ?O dinheiro vai para a preparação e as viagens das seleções de natação, pólo aquático, nado sincronizado e saltos ornamentais.? No dia 8 de março, Coaracy anunciará o projeto para 2002, que já tem verba garantida, e os planos até 2004, que ainda dependem de patrocínio. detalhando os investimentos que fará nos torneios nacionais. A CBDA renovou contrato de patrocínio com os Correios e terá, no total, R$ 4,2 milhões este ano. Coaracy lamenta que clubes do Rio, como o Vasco, tenham fechado os projetos olímpicos, e o Corinthians, de São Paulo, não tenha cumprido a promessa de montar uma equipe competitiva. Coaracy vê crescer o interesse das universidades na natação. Cita a Unisanta, de Santos, que tem a quarta equipe no ranking nacional, além da catarinense Unisul e da gaúcha Ulbra, que estão construindo parques aquáticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.