Junior Ruiz/Fiesp
Junior Ruiz/Fiesp

Coaracy pede apoio do Sesi para repatriar jogadores de pólo aquático

Tony Azevedo, vice-campeão olímpico pelos EUA em 2008 e Felipe Perrone, que defende a Espanha, estão na mira

22 de janeiro de 2013 | 17h34

SÃO PAULO A entrevista coletiva convocada para o lançamento do projeto de natação feminina do Sesi atrasou uma hora. Paulo Skaf, o presidente da Fiesp, discutiu com Coaracy Nunes, o presidente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, uma proposta capaz de elevar sensivelmente o nível da seleção masculina de polo aquático.

A ideia é que o Sesi se encarregue da contratação de Tony Azevedo, carioca que defende a seleção norte-americana, e Felipe Perrone, jogador da seleção espanhola, também nascido no Rio.

"Esses jogadores que estão no exterior são bem melhores do que os que temos aqui. Vamos repatriá-los", disse Coaracy.

Felipe adquiriu a cidadania espanhola porque um de seus avôs nasceu naquele país. Tony já disputou quatro edições dos Jogos Olímpicos pelos Estados Unidos e conquistou a medalha de prata em Pequim. Ele se mudou para os EUA com apenas um mês de idade. Seu pai, Ricardo Azevedo, jogou pelo Brasil e foi técnico da seleção norte-americana e da brasileira.

Coaracy, que havia se comprometido com Skaf a manter sigilo sobre o projeto, acabou adiantando o teor da reunião. Por esse motivo, não revelou maiores detalhes.

Azevedo e Perrone, se forem de fato repatriados, terão de cumprir um ano de "quarentena" sem poder defender nenhuma seleção para que possam ganhar nova cidadania esportiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.