Jérôme Panconi
Jérôme Panconi

COB assina acordo para ter bases exclusivas em Paris para Time Brasil nos Jogos Olímpicos de 2024

Comitê Olímpico do Brasil terá espaços reservados na cidade de Saint-Ouen, a 600 metros da Vila Olímpica dos atletas

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2022 | 10h01

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) deu um passo importante na preparação para os Jogos de Paris, em 2024. A entidade assinou um acordo com a prefeitura de Saint-Ouen-sur-Seine para usar as estruturas da cidade na preparação dos atletas brasileiros durante a Olimpíada. A estratégia segue os moldes do que foi feito para os Jogos de Tóquio, quando o Time Brasil obteve a melhor campanha de sua história, com 21 medalhas.

"O objetivo do COB é ter excelência em suas ações e esta parceria com Saint-Ouen será fundamental para nós. Montaremos aqui nossa principal base de apoio e ofereceremos serviços exclusivos para a delegação brasileira daqui a dois anos. Tenho certeza de que essa será uma troca de experiências enriquecedora para os dois lados", afirmou Paulo Wanderley, presidente do COB.

O maior trunfo é que as instalações ficam a cerca de 600 metros da Vila Olímpica de Paris-2024, que fica em Saint-Denis, e trará facilidades para os atletas e comissão técnica. O COB terá à disposição em Saint-Ouen cinco instalações: Château Saint-Ouen, Escola Petit Prince, Parque das Docas, Ginásio das Docas e Serra Wangari.

"A base em Saint-Ouen vai proporcionar uma enorme facilidade aos atletas. Teremos áreas exclusivas de treinamento, em um local bem próximo à Vila Olímpica, e todos os serviços à disposição. Isso vai reduzir de forma considerável o tempo de deslocamento das equipes", explicou Ney Wilson, diretor de Alto Rendimento do COB.

Nos Jogos de Tóquio, o Brasil utilizou as instalações de uma escola em Chuo onde havia equipamentos para atividades físicas. Assim, os atletas não precisavam disputar espaços oficiais da organização dos Jogos, que são sempre concorridos e têm horários limitados. Outro fator importante no Japão foi a possibilidade de ter chefs de cozinha preparando comida brasileira, proporcionando um conforto aos atletas.

A fórmula será repetida em Paris, mas aprimorada. "Tóquio exigiu grande desafio logístico por causa da distância, do fuso horário e dos hábitos alimentares. Em Paris serão outros desafios, e nossa operação funcionará exclusivamente no período dos Jogos: de 18 de julho, data de abertura da Vila Olímpica, até 11 de agosto, quando ocorre a Cerimônia de Encerramento", comentou Sebastian Pereira, gerente executivo de Alto Rendimento e Jogos e Operações Internacionais do COB.

No período dos Jogos de Paris, o Château Saint-Ouen contará com os serviços médicos, de preparação mental, áreas operacionais e alimentação brasileira. Também servirá como ponto de encontro dos atletas com seus amigos e familiares, algo que não foi possível em Tóquio por causa das restrições impostas pela pandemia de covid-19. Já a Escola Petit Prince será uma base de apoio voltada à performance esportiva e a Serra Wangari receberá a operação de uniformes.

Modalidade que costuma dar ótimos resultados para o Brasil, o vôlei terá espaços para treinamento dos atletas nacionais. No Parque das Docas será construída uma quadra temporária para o vôlei de praia. E no Ginásio das Docas, as seleções masculina e feminina de vôlei de quadra poderão realizar seus treinos sem restrição de horário. O time masculino, inclusive, vai testar o local em sua preparação para o Mundial, em agosto.

"É a primeira vez que visito Saint-Ouen e estou impressionada com o projeto. As instalações aqui são incríveis. E poder visitar tudo me permitiu entender todo o trabalho de bastidores", disse Nathalie Moellhausen. A brasileira campeã mundial de esgrima mora em Paris e espera que o local ajude na sua performance nos Jogos Olímpicos.

Na quinta-feira, 16, o acordo com a cidade foi formalizado na presença, em um evento que contou ainda com a participação de dez alunos da Escola Petit Prince. "Esta é uma parceria histórica para nós. O Brasil é um grande país, de força econômica e esportiva, símbolo de pluralidade cultural. Teremos aqui em Saint-Ouen um mini Brasil, o que nos enche de orgulho", afirmou o prefeito Karim Bouamrane.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.