COB
COB

COB aumenta participação de atletas em assembleia que causou polêmica entre dirigentes

Discussão chamada às pressas incomodou muitos membros e oposição já articula candidato para a próxima eleição

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2019 | 23h28

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) convocou às pressas uma assembleia geral extraordinária que foi realizada nesta quinta-feira e promoveu a revisão de parte do estatuto da entidade. A urgência na realização do debate pegou de surpresa muitos membros, mas a discussão ocorreu na sede no Rio e entre as principais decisões está um aumento na participação de atletas.

O objetivo era alterar cerca de 50 pontos do estatuto e a presença de representantes da Comissão de Atletas (Bruno Mendonça, Emanuel Rêgo, Emerson Duarte, Fabiana Murer, Fabiano Peçanha, Marcelinho Machado e Thiago Pereira) ajudou na votação para barrar possíveis perdas na representatividade dos atletas.

A Comissão de Atletas do COB, a partir do próximo ciclo olímpico, passa a ser composta por 25 atletas, sendo 19 com direito à participação nas assembleias e votações, como a eleição para presidente da entidade. Isso significa um terço do colégio eleitoral. A próxima gestão será eleita em 25 de novembro de 2020 e uma oposição já se articula em torno de Sami Arap, ex-presidente da Confederação Brasileira de Rugby.

Na assembleia desta quinta-feira estavam presentes, além dos atletas, 33 representantes das confederações esportivas nacionais e Bernard Rajzman, membro brasileiro do COI (Comitê Olímpico Internacional). "A Comissão de Atletas está disposta a contribuir mais com as decisões para melhora do esporte nacional, agora com mais sete votos na assembleia do COB", afirmou Emanuel Rêgo.

Segundo Paulo Wanderley, presidente do COB, a revisão do estatudo já estava prevista para ser realizada nesse período. "Depois de dois anos, era hora de nos reunirmos para revisar o estatuto, atualizar e aprimorar alguns pontos. O principal deles é a maior participação dos atletas nas decisões do COB", explicou.

"Quando assumi a presidência do COB, apenas um atleta participava nas assembleias e ampliamos para 12. A partir do próximo ciclo olímpico, serão 19. Tudo que aconteceu na reunião no COB foi um exercício salutar de democracia. E quem sai vencendo é o movimento olímpico brasileiro", continuou o dirigente.

Segundo o COB, os principais pontos alterados do estatuto foram:

- Ampliação de 19 para 25 o número de atletas na Comissão de Atletas do COB;

- Ampliação de 12 para 19 o número de atletas com participação nas Assembleias da entidade, inclusive com direito a voto nas principais decisões da entidade

- Os poderes punitivos ficam exclusivamente a cargo da Assembleia.

- A redução do número de membros do Conselho de Administração, de 17 para 13, sem prejuízo da participação dos atletas, que continuou em dois, aumentando percentualmente sua relevância;

- A condição de atleta membro da Comissão de Atleta passa a ser de associado ao COB, ao lado das Confederações, com os mesmos poderes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.