COB divulga apoio aos atletas da neve

A equipe do bobsled, a última a deixar o Brasil, segue sábado para a Itália e preparas-se para a Olimpíada de Inverno de Salt Lake City, de 8 a 24 de fevereiro. Sem neve e tradição, o Brasil terá nos Estados Unidos a maior delegação da história, com 20 pessoas e 11 atletas - no cross country, luge, ski alpino e bobsled. Com direito a "bronca" pública em Eric Maleson, do bobsled, que não citou o apoio recebido do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, presidente da entidade, afirmou que o COB pagou a preparação e a ida aos Jogos.Ao lado do ministro dos Esportes, Carlos Melles, na Couro Modas, antes do desfile que a Olympikus fez para apresentar as roupas criadas para a delegação brasileira vestir nos Jogos (um enxoval com 60 peças para cada atleta), Nuzman discriminou o apoio. Segundo o dirigente, as associações de Ski e Snowboard e de Bosled e Luge receberam US$ 35 mil da ?solidariedade olímpica? do Comitê Olímpico Internacional. O COB gastou outros R$ 180 mil na preparação e usará mais R$ 100 mil na ?operação Salt Lake City?, a viagem em si.A bandeira nacional será hasteada na Vila Olímpica de Salt Lake City no dia 6 e Mirella Arnhold, do ski, levará a bandeira no desfile de abertura dos Jogos.Potência - Segundo o ministro Melles, que se desencompatiliza do cargo em março para concorrer às eleições, o "Brasil deixou a monocultura do futebol e será uma potência olímpica em 10 ou 12 anos". Melles deixará o Ministério, mas acha que a política esportiva "está garantida no orçamento". Ele anunciou uma medida provisória que isentará de impostos a exportação de material esportivo.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2002 | 20h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.