Felipe Christ/DIVULGAÇÃO
Felipe Christ/DIVULGAÇÃO

COB elege técnicos do ano: Zé Roberto e Marcos Groto

Cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico acontece no dia 18 de dezembro, no Theatro Municipal do Rio

AE, Agência Estado

28 de novembro de 2012 | 16h09

RIO - O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) divulgou nesta quarta-feira os dois vencedores na eleição dos melhores treinadores do ano (esportes coletivos e individuais): José Roberto Guimarães, da seleção feminina de vôlei, e Marcos Groto, do ginasta Arthur Zanetti - ambos foram campeões olímpicos nos Jogos de Londres. Eles serão premiados na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, que acontece no dia 18 de dezembro, no Theatro Municipal do Rio.

Criado pelo COB em 1999, o Prêmio Brasil Olímpico aponta anualmente os destaques do esporte brasileiro. Na edição deste ano, a disputa de melhor atleta está entre Sheilla (vôlei), Sarah Menezes (judô) e Yane Marques (pentatlo moderno) no feminino e entre Arthur Zanetti (ginástica artística), Esquiva Falcão (boxe) e Thiago Pereira (natação) no masculino - os vencedores serão apontados por um júri especializado e votação popular.

Além da eleição do melhor atleta, tanto no masculino quanto no feminino, o COB apontou o destaque individual de 43 modalidades em 2012, premiando também nomes como Neymar (futebol), Robert Scheidt (vela) e Marcelinho Huertas (basquete), entre outros. Todos eles serão premiados na mesma cerimônia de 18 de dezembro, assim como os dois técnicos agora eleitos. Na mesma festa, haverá uma homenagem aos brasileiros que ganharam medalha em Londres.

A eleição de Zé Roberto já era esperada. Nos Jogos de Londres, ele se tornou o primeiro brasileiro a ser tricampeão olímpico - ganhou com a seleção masculina de vôlei em Barcelona/1992 e foi bicampeão com a feminina em Pequim/2008 e em Londres/2012. Assim, acabou vencendo a premiação do COB de melhor treinador do ano pela segunda vez na carreira, repetindo o feito de quatro anos atrás, quando também conquistou a medalha de ouro.

"Me sinto muito feliz e honrado em receber mais uma vez o prêmio de melhor técnico do ano. Principalmente por ter conquistado esse prêmio representando o meu País. Ter esse reconhecimento é motivo de grande orgulho para mim", disse Zé Roberto. "Esse foi meu título olímpico mais difícil. Ganhar os Jogos Olímpicos é muito difícil. Mas se manter no topo é ainda mais. O seu time passa a ser a referência, o time a ser batido. É preciso encontrar motivação para treinar e se sacrificar ainda mais."

Marcos Groto também conseguiu um feito histórico em Londres, ao ajudar Arthur Zanetti, com quem trabalha há 14 anos, a conquistar a primeira medalha olímpica do Brasil na ginástica artística - foi ouro na prova das argolas. "Fiquei muito feliz em saber que conquistei o prêmio. É um reconhecimento ao meu trabalho e de todo o meu grupo, que trabalha duro em São Caetano (SP). Sem dúvida, é uma motivação a mais para mim e para todos os treinadores de ginástica artística do Brasil", comemorou.

Tudo o que sabemos sobre:
Prêmio Brasil OlímpicoCOB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.