Arquivo/AE
Arquivo/AE

COB exige vaga para Marcio Wenceslau nos Jogos Olímpicos

O brasileiro foi prejudicado na decisão do Torneio Qualificatório das Américas, no México

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2012 | 19h47

RIO - O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) deu nesta sexta-feira o que chamou de "ultimato" à Federação Internacional de Tae Kwon Do (WTF, na sigla em inglês), exigindo que esta forneça um convite para que Marcio Wenceslau dispute a Olimpíada de Londres. O brasileiro foi derrotado na decisão do Torneio Qualificatório das Américas, realizado em novembro, no México, e ficou sem a vaga. Mas os vídeos da luta mostram que o árbitro errou e prejudicou Wenceslau.

De acordo com nota divulgada pelo COB, o Comitê enviou nesta sexta-feira uma carta à WTF exigindo a vaga de Wenceslau. Antes, no fim de janeiro, já havia sido feito um pedido à União Pan-americana de Tae Kwon Do, negado pela Federação Internacional. "Se a WTF mantiver a decisão, o COB entrará, ainda este mês, com recurso no Tribunal Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês)", ameaça a nota do COB.

O Comitê entende que Wenceslau foi prejudicado pela arbitragem "pelo menos três vezes" na decisão do Qualificatório, no México. Ele vencia Damian Villa, atleta da casa, por 6 a 2 até 20 segundos antes do fim da luta. Em 17 segundos, o mexicano reduziu a diferença para dois pontos. Então árbitro acusou um golpe na cabeça do brasileiro, mas os vídeos da luta mostram que o chute pegou apenas no braço de Wenceslau, o que não configura ponto. Desta forma, Villa venceu por 7 a 6 e ficou com a vaga olímpica.

"As imagens gravadas pela própria Federação Internacional são muito claras. O chute não atinge a cabeça do Marcio, o que, consequentemente, manteria a vitória do brasileiro na luta em que se decidia uma vaga olímpica. Demos um prazo até o dia 24 de fevereiro para a WTF rever o resultado da luta. Se isso não ocorrer, entraremos imediatamente no CAS para lutar pelo atleta", afirma o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

"Foram vários erros grosseiros da arbitragem. Acertei a cabeça dele e não ganhei os pontos. Em outro lance, a luta estava parada quando o Damian contornou o árbitro por trás para me golpear. E quem acabou penalizado fui eu. Além disso, fui punido injustamente por ter encurtado a distância, o que é permitido pela regra. Era para eu ter vencido por sete pontos de vantagem, pelo menos", desabafou Wenceslau.

Curiosamente, Wenceslau sequer faz mais parte da seleção brasileira. O atleta de 31 anos, da categoria até 58kg, perdeu na semifinal da seletiva organizada pela Confederação Brasileira de Tae Kwon Do (CBTKD) em janeiro. Só os finalistas compõem a seleção brasileira em 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.