COB ganha prédio da Prefeitura do Rio

Para fortalecer ainda mais a posição do Rio como o pólo esportivo do Brasil, o prefeito carioca Cesar Maia presentou o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) com um prédio de seis andares, totalizando 20 mil metros quadrados, na Praça XV, no Centro, onde a entidade construirá uma suntuosa sede até o início de 2005. O local ainda terá um Museu Olímpico, além de uma biblioteca multimídia. O custo da obra será de cerca de R$ 6 milhões. "Foi uma sugestão minha, que pedi que se localizassem ali. Faz parte do fortalecimento do Rio como centralidade do Esporte ", afirmou Cesar Maia, que não cobrará aluguel da entidade. Ele ressaltou que um andar do imóvel vai ser ocupado por uma Vara de Execuções do Tribunal de Justiça. "O COB terá a obrigação de recuperar todo o prédio e criar o Museu Olímpico e uma grande biblioteca e videoteca de Esportes, que serão públicos." A nova sede do COB fica em um local considerado corredor cultural da cidade e próximo à Estação das Barcas, às margens da Baía de Guanabara. No prédio, que tem sua fachada tombada pelo Governo Federal, funcionou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e foi comprado pela prefeitura há quatro anos. Hoje, somente parte do térreo está sendo ocupado pela 1ª Inspetoria da Guarda Municipal. O responsável pelo projeto da nova sede, o arquiteto Paulo Casé, explicou que o local está em bom estado e a intenção manifestada pelos dirigentes do COB é de deixá-la pronta até o início de 2005. A urgência se deve ao fato de que, como candidata a receber os Jogos Olímpicos de 2012, a cidade será inspecionada por representantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) em fevereiro ou março do próximo ano e uma suntuosa sede causaria uma "boa impressão". "Estive duas vezes em Lausanne (na Suíça) para ver o Museu Olímpico do COI. E na quarta-feira tenho uma reunião com o COB para apresentar o projeto", contou Casé. "A minha intenção é a de tornar o local bem atrativo. Vamos fazer um bar temático e as pessoas vão poder até chegar de barco. Teremos lojas também para a venda de produtos do COB." O presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, não quis comentar o assunto e se limitou a redigir uma nota, divulgada por sua assessoria. No documento, o dirigente diz que o "projeto ainda não está fechado e, por isso, maiores detalhes não podem ser passados". Aproveitou para agradecer Maia "pela sensibilidade de perceber a necessidade do COB em aumentar suas instalações, devido à crescente demanda de projetos e de trabalho". Desde 1984, o COB funciona em várias salas distribuídas por três andares de um prédio comercial no Centro do Rio. Algumas delas são próprias e outras não. Além do museu e da biblioteca, toda a estrutura administrativa da entidade será transferida para a nova sede. "Atuando em um mesmo prédio, o COB, o CO-RIO (Comitê Organizador dos Jogos Pan-Americanos de 2007) e o Comitê de Candidatura 2012 terão mais facilidades em atingir seus objetivos", escreveu Nuzman.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2004 | 18h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.