COB inaugura centro de treinamento no Maria Lenk

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) inaugurou nesta sexta-feira a Sala de Força e Condicionamento do Parque Aquático Maria Lenk, na Barra da Tijuca, no Rio. O centro de treinamento, com 500 metros quadrados, conta com aparelhos adaptados e outros construídos especificamente para a preparação de atletas de alto rendimento. A ideia do projeto é concentrar toda a preparação diária dos esportistas em um só lugar.

TIAGO ROGERO, Agência Estado

16 de dezembro de 2011 | 18h56

Segundo o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, o Parque Aquático Maria Lenk agora conta com a "maior instalação física do País". A nova sala tem capacidade para 40 atletas ao mesmo tempo, de várias modalidades. O espaço foi desenhado pela judoca e arquiteta Daniela Polzin, medalha de prata no Pan do Rio, em 2007. Ao todo, foram investidos R$ 400 mil do COB e mais R$ 500 mil através de doações de equipamentos pela empresa paulista Movement.

A lutadora Natália Falavigna, medalhista de bronze no tae kwon do na Olimpíada de Pequim, em 2008, já estava treinando no novo centro de treinamento, antes mesmo da inauguração. Para se adaptar ao treino dela, a capacidade máxima de peso do "leg press" (usado para o fortalecimento das pernas), por exemplo, teve de ser aumentada de 200kg para 800kg.

"Fez muita diferença para mim na classificação recente para Londres. Em uma academia ?normal?, há outros alunos que precisam usar os aparelhos, você não consegue ter a sequência necessária", disse Natália, que garantiu no mês passado vaga a para os Jogos de 2012. Todos os dias, ela chega às 8 horas e vai embora às 18 horas do Parque Aquático Maria Lenk.

Segundo Nuzman, "para um país se tornar uma potência olímpica é fundamental ter centros de treinamento para o alto rendimento". De acordo com o COB, já solicitaram a utilização do local atletas de atletismo, saltos ornamentais, natação, nado sincronizado, tae kwon do, levantamento de peso, canoagem e judô.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.