COB paga promessas de campanha do Pan

A vitória sobre a cidade americana de San Antonio, há três anos, pelo direito de ser a sede dos Jogos Pan-Americanos de 2007, ainda força o Comitê Olímpico Brasileiro a pagar promessas pela conquista. Neste domingo, por exemplo, será a vez de a Olympikus, fornecedora oficial de material esportivo da entidade, arcar com sua responsabilidade ante 25 eleitores que asseguraram a vitória carioca, por 30 votos a 21.Na disputa pelos eleitores, o COB se comprometeu a oferecer 75 conjuntos de materiais esportivos para as 42 Comitês Olímpicos Nacionais (países que já foram sede dos Jogos tiveram direito a dois votos) que participaram da eleição. Por isso, em um desfile domingo à noite, num hotel da zona sul do Rio, a fornecedora de material esportivo apresentará as roupas aos 25 países que se interessaram pela oferta.Além da oferta de material esportivo, o COB ainda tem outras promessas a cumprir. Dentre elas, a realização de duas feiras esportivas, uma já programada para ocorrer nos dias 1º e 2 de setembro e a última em 2007.Fornecer um total de 7.500 passagens aéreas, visto gratuito e planos de saúde a todos os participantes dos Jogos e mais outras benesses: a liberação gratuita do sinal de TV aos países da América Central e o fornecimento de quatro ingressos para os atletas em provas de suas respectivas modalidades.Preocupação - O presidente da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa), o mexicano Mário Vazquez Raña, se mostrou preocupado ontem com o atraso nas obras do Complexo Esportivo do Autódromo de Jacarepaguá, que abrigará o Parque Aquático, o Velódromo, além de uma Arena Poliesportiva, durante os Jogos de 2007. O dirigente está no Brasil para participar, a partir de hoje, da reunião do Comitê Executivo da entidade (responsável pela competição continental) e, a partir de segunda-feira, da Assembléia Geral."Existe uma preocupação mas o prefeito (do Rio, Cesar Maia) me assegurou que em dois ou três dias teremos a solução para o caso", disse o dirigente. Apesar da preocupação, o dirigente se mostrou satisfeito com os outros locais de competição: a Vila Pan-Americana, o Estádio João Havelange, o Centro de Convenções Riocentro e o Complexo do Maracanã, onde no discurso desta sexta-feira cometeu uma gafe ao trocar o nome do "maior estádio do mundo", chamando-o de "Bernabéu" - o Santiago Bernabéu é o campo do Real Madrid.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.