COI aceita negociar para tentar manter as lutas

O presidente do COI, Jacques Rogge, disse ontem que vai discutir alternativas para manter a luta olímpica nos Jogos de 2020. Anteontem, na reunião do Comitê Executivo da entidade que decidiu os esportes-base da competição, as duas modalidades da luta (livre e greco-romana) ficaram de fora da relação.

LAUSANNE, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2013 | 02h02

A decisão do comitê ainda tem de ser ratificada pelo próprio COI, em setembro, em reunião em Buenos Aires que, entre outros temas, decidirá a sede da Olimpíada de 2020.

Rogge disse que foi procurado pelo apreensivo presidente da Federação Internacional de Luta Olímpica (Fila), Raphael Martinetti. "Combinamos de nos encontrar na primeira oportunidade para discutir o assunto'', disse o dirigente do COI. Ele revelou que a Fila prometeu adaptar o esporte, numa tentativa de mantê-lo no programa olímpico.

Ontem, no Irã, na Rússia e na Índia ocorreram fortes protestos contra a decisão da executiva do COI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.