COI adverte membro por uso de influência para beneficiar amigo em contrato

A Comissão Executiva do Comitê Olímpico Internacional (COI) advertiu nesta quinta um de seus próprios membros, o suíço René Fasel, presidente da Federação Internacional de Hóquei sobre Gelo (IIHF na sigla em inglês), por uso de influência para beneficiar um amigo.

EFE

29 de abril de 2010 | 16h49

O COI abriu investigação a partir de uma informação publicada em maio de 2009 pelo jornal suíço Sonntagszeitung, que revelava a existência de um contrato entre a companhia Infront Sport Media, que administra os direitos de televisão e marketing da IIHF, e a empresa Prc AG, de propriedade do amigo de Fasel.

Segundo a reportagem, comissões de 1,9 milhões de francos suíços (cerca de R$ 3 milhões) foram recebidas pela empresa graças ao contrato. Entre as sanções aplicáveis pelo COI, a advertência é a de menor alcance e possui apenas efeito simbólico. Neste caso, no entanto, adquire relevância em função da importância do dirigente envolvido.

Além de comandar a IIHF, Fasel é membro da Comissão Executiva do COI em representação de todas as federações de esportes de inverno, e acaba de concluir seu trabalho como presidente da Comissão de Coordenação dos Jogos Olímpicos de Vancouver, realizados em fevereiro.

Fasel admitiu um dia após a divulgação da reportagem que havia ajudado seu amigo, mas negou ter recebido qualquer comissão e ele mesmo pediu ao presidente do COI, Jacques Rogge, para que levasse o caso à Comissão de Ética. A federação de hóquei também encarregou à companhia Deloitte uma investigação independente.

A Comissão de Ética concluiu em relatório que, como presidente da IHHF, Fasel esteve "pessoalmente implicado nas negociações de diversos contratos de marketing, particularmente com a Infront".

Ao ajudar a um amigo a oferecer seus serviços a esta empresa, "e obter portanto vantagens para ele", o dirigente quebrou as regras relativas aos conflitos de interesses "e é provável que sua conduta tenha manchado a reputação do Movimento Olímpico".

"A Comissão estima que este dano é muito maior dadas as grandes responsabilidades de René Fasel no COI", acrescentou a entidade.

Tudo o que sabemos sobre:
COInegócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.