COI: Brasil tem que priorizar Olimpíada

Para ser a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, mandou um aviso para o Brasil: é preciso estabelecê-los como uma prioridade e se indagar sobre sua capacitação para realizá-los. O dirigente ainda se mostrou "impressionado" com as futuras instalações do Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio, durante uma visita às obras, nesta terça-feira. "Acho que uma prioridade precisa ser estabelecida. Ouvimos falar em dois projetos no Brasil: a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016", disse o presidente do COI, que está no Rio participando da Assembléia da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa), que termina nesta quarta. "O Brasil deve se perguntar: o Rio está preparado para fazer o quê?". Sobre a Copa do Mundo, Rogge foi bem ácido e não titubeou em minimizá-la ao fazer uma comparação com os Jogos Olímpicos. De acordo com o presidente, a realização do Mundial de futebol requer uma organização menor do que a de uma Olimpíada. "Em Copa do Mundo são 600 jogadores, com três jogos ocorrendo por dia e quando se chega à fase final temos até três dias sem partidas. Na Olimpíada são 10.500 atletas, 20 campeonatos mundiais acontecendo diariamente, durante 17 dias seguidos", frisou o presidente do COI. De acordo com Rogge, os Jogos Pan-Americanos serão um "excelente preparativo para o desenvolvimento do Rio e sua preparação a uma candidatura olímpica. O dirigente ainda usou as expressões "impressionado" e "tremendo" para expressar sua satisfação com a organização e estrutura carioca para a competição continental de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.